domingo, 9 de fevereiro de 2014

SANTO DO DIA - 09/02/2014

09/02
Apolônia
Esta santa foi muito popular na idade média como padroeira dos dentes, ou melhor, contra as dores de dente e conseqüentimente dos dentistas. O que se sabe de certo sobre Apolônia é o que escreveu numa carta o bispo de Alexandria, Dionísio.

Nos últimos anos de governo do imperador Felipe,o árabe (244-249), pessoalmente favorável aos cristãos, houve uma revolta popular na cidade de Alexandria, no Egito, contra os cristãos, açulada por um adivinho. O massacre que se seguiu durante a revolta ceifou muitas vidas de cristãos. No seu furor, os pagãos não pouparam nem os mais fracos. Então escreveu o bispo: "Todos se lançaram sobre as casas dos cristãos. Cada um entra na casa daqueles que conhece na sua vizinhança. Saqueia e devasta, levando embora, nas dobras dos vestidos, todos os objetos preciosos, lançam por terra ou queimam as coisas sem valor. Dirse-ia uma cidade tomada e saqueada pelo inimigo... Os pagãos, depois, tomaram a admirável virgem Apolônia, já avançada em idade, golpearam as suas mandíbulas e lhe arrancaram os dentes. Depois, tendo aceso o fogo de uma pira fora da cidade, ameaçaram atirá-la nela viva, se não pronunciasse juntamente com eles palavras ímpias. Ela pediu para ser deixada livre um instante. Foi atendida e saltou rapidamente no fogo e foi consumida". O episódio teria acontecido na ano 249.

Apolônia deve ter nascido no princípio do século III ou nos últimos anos do século II, porque o texto de Dionísio afirma que já era avançada em anos quando aconteceu o fato. A sua vida tinha sido irrepreensível, digna de toda admiração. A sua conduta exemplar deve ter suscitado a ira dos pagãos. O fato de ela ter-se atirado no fogo não causou admiração nas palavras do seu bispo, mas o assunto foi muito discutido em tempos posteriores. O fato deve ter causado admiração não só nos pagãos mas também nos cristãos. O culto de Sta. Apolônia, como protetora dos dentes, foi muito difundido.
São Miguel Febres
O Santo que lembramos neste dia tinha o nome de Batismo Francisco. Nasceu em Cuenca, Equador em 1854 em uma família muito religiosa que soube a colhê-lo com sua forte deformação nos pés, que em nada impediu Francisco de batalhar pela sua vocação, embora seus amados pais apresentassem barreiras.
Educado no santo temor de Deus e amor a Maria, Francisco que tinha grande tendência para os estudos entrou-se com os professores e religiosos Lassalistas onde Francisco submeteu não só os estudos mas também sua vida. Ao tornar-se Irmão recebeu o nome de Miguel e a ele honrou com sua vida de simplicidade e serviço, embora ótimo professor ,chegou a lecionar, escrever muito, e fazer parte da Academia Equatoriana de Letras.
Santo e Irmão Miguel vivia com fidelidade a via da infância espiritual, por isso conseguiu ser fiel no pouco do dar aulas, até o muitos de ter que ficar firme na direção do Colégio La Salle em Quito com seus 1200 alunos. No tempo muito difícil, isto quando aconteceu a revolução anticlerical no Equador com a expulsão de religioso e profanação de Igrejas. São Miguel Febres por obediência foi para a Europa a fim de lecionar línguas, assim como entrou no céu em 1910.
As últimas palavras do Santo : "Jesus , José e Maria , vos dou meu coração a minha alma".