sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Conselho do Dia

Este é o conselho que a Imitação de Cristo nos dá para hoje:
Se te resolveres ao que deves, isto é, a padecer e morrer, logo te sentirás melhor e acharás paz. Ainda que fosses arrebatado, com S.Paulo, ao terceiro céu, nem por isso estarias livre de sofrer alguma contrariedade. Eu, diz Jesus, mostrar-lhes-ei quanto terá de sofrer por meu nome (At 9,16). Não te resta, pois, senão sofrer se pretendes amar e servir a Jesus para sempre. ( Da estrada real da santa cruz)

Certamente estas palavras se referem a alguma necessidade sua. 
Mas isso só você saberá entender.

Fonte: Imitação de Cristo

SANTO DO DIA - 28/02

28/02
Santo Osvaldo
(bispo e confessor)
"Muitos dos primeiros serão últimos, e muitos dos últimos, primeiros" Mt 19,30
Homem célebre, venerado ainda hoje, é o Arcebispo de York, na Inglaterra, que antes fora Bispo de Worcester. Seu nome, OSVALDO. Era de origem dinamarquesa. apesar de pertencer à alta nobreza, deixou tudo e fez-se padre.
Depois, passou para o Continente, na França, onde construiu diversas igrejas abaciais, ou abadias.
Teve o mérito de introduzir liturgias mais adaptadas ao povo. E é muito significativo que ele tenha sido morto depois de lavar os pés a doze pobres, enquanto cantava o "Glória". Era o ano de 992.

Os grandes e os pequeninos misturam o sangue com o de Cristo, e o mundo rejuvenesce com a generosidade das testemunhas do Pai.
São Leandro
São Leandro que lembramos hoje, nasceu na Cartagena em 520. Pertencia a uma família muito religiosa e recebeu ótima formação cultural e religiosa, por isso ainda jovem discerniu sua vocação e entrou no mosteiro beneditino na Espanha. Defensor da pureza da fé, e zeloso missionário São Leandro viveu num contexto em que os rei visigodo se opunha ao trabalho evangelizador, já que era ariano. Sagrado Bispo e assumindo Servilha, São Leandro mesmo diante da oposição do rei conseguiu converter a muitos, principalmente através das escolas Católicas. Depois de fazer importantes viagens e contatos com Gregório Magno São Leandro voltou a sua cidade e continuou sua missão, que avançou depois da conversão do filho do rei que depois da morte do pai, assumiu o trono. Chamado apóstolo dos Godos o Santo Bispo Leandro depois de uma vida cheia de trabalho, dores e merecimentos entrou para o céu em 600 com oitenta anos.

LITURGIA DIÁRIA - 28/02/2014


Sexta-feira: 28/02/2014
Primeira Leitura: Tg 5,9-12

VII SEMANA DO TEMPO COMUM
(verde - ofício do dia)



Leitura da Carta de São Tiago.

9Irmãos, não vos queixeis uns dos outros, para que não sejais julgados. Eis que o juiz está às portas. 10Irmãos, tomai por modelo de sofrimento e firmeza os profetas, que falaram em nome do Senhor. 11Reparai que consideramos como bem-aventurados os que perseveraram. Ouvistes falar da perseverança de Jó e conheceis o êxito que o Senhor lhe deu — pois o Senhor é rico em misericórdia e compassivo. 12Sobretudo, meus irmãos, não jureis, nem pelo céu, nem pela terra, nem por qualquer outra forma de juramento. Antes, que o vosso sim seja sim, e o vosso não, não. Então não estareis sujeitos a julgamento.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.


Responsório (Sl 102)

— O Senhor é indulgente, é favorável.
— O Senhor é indulgente, é favorável.

— Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e todo o meu ser, seu santo nome! Bendize, ó minha alma, ao Senhor, não te esqueças de nenhum de seus favores!
— Pois ele te perdoa toda a culpa, e cura toda a tua enfermidade; da sepultura ele salva a tua vida e te cerca de carinho e compaixão.
— O Senhor é indulgente, é favorável, é paciente, é bondoso e compassivo. Não fica sempre repetindo as suas queixas, nem guarda eternamente o seu rancor.
— Quanto os céus por sobre a terra se elevam, tanto é grande o seu amor aos que o temem; quanto dista o nascente do poente, tanto afasta para longe nossos crimes.


Evangelho (Mc 10,1-12)

— O Senhor esteja conosco.
—Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
—Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus foi para o território da Judeia, do outro lado do rio Jordão. As multidões se reuniram de novo, em torno de Jesus. E ele, como de costume, as ensinava. 2Alguns fariseus se aproximaram de Jesus. Para pô-lo à prova, perguntaram se era permitido ao homem divorciar-se de sua mulher.3Jesus perguntou: “O que Moisés vos ordenou?” 4Os fariseus responderam: “Moisés permitiu escrever uma certidão de divórcio e despedi-la”. 5Jesus então disse: “Foi por causa da dureza do vosso coração que Moisés vos escreveu este mandamento. 6No entanto, desde o começo da criação Deus os fez homem e mulher. 7Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe e os dois serão uma só carne. 8Assim, já não são dois, mas uma só carne.9Portanto, o que Deus uniu, o homem não separe!”
10Em casa, os discípulos fizeram, novamente, perguntas sobre o mesmo assunto.11Jesus respondeu: “Quem se divorciar de sua mulher e casar com outra, cometerá adultério contra a primeira. 12E se a mulher se divorciar de seu marido e casar com outro, cometerá adultério”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

O Evangelho do Dia - 28/02/2014

Ano A - DIA 28/02


Jesus fala sobre o divórcio - Mc 10,1-12

Jesus saiu daquele lugar e foi para a região da Judéia que fica no lado leste do rio Jordão. Uma grande multidão se ajuntou outra vez em volta dele, e ele ensinava todos, como era o seu costume. Alguns fariseus, querendo conseguir uma prova contra ele, perguntaram: 
- De acordo com a nossa Lei, um homem pode mandar a sua esposa embora? 
Jesus respondeu com esta pergunta: 
- O que foi que Moisés mandou? 
Eles responderam: 
- Moisés permitiu ao homem dar à sua esposa um documento de divórcio e mandá-la embora. 
Então Jesus disse: 
- Moisés escreveu esse mandamento para vocês por causa da dureza do coração de vocês. Mas no começo, quando foram criadas todas as coisas, foi dito: "Deus os fez homem e mulher. Por isso o homem deixa o seu pai e a sua mãe para se unir com a sua mulher, e os dois se tornam uma só pessoa." Assim, já não são duas pessoas, mas uma só. Portanto, que ninguém separe o que Deus uniu. 
Quando já estavam em casa, os discípulos tornaram a fazer perguntas sobre esse assunto. E Jesus respondeu: 
- O homem que mandar a sua esposa embora e casar com outra mulher estará cometendo adultério contra a sua esposa. E, se a mulher mandar o seu marido embora e casar com outro homem, ela também estará cometendo adultério. 


Leitura Orante

Oração Inicial


Preparo-me para a leitura Orante, rezando, 
com todos que se encontram neste ambiente virtual
Espírito de verdade, 
a ti consagro a mente e meus pensamentos: ilumina-me.
Que eu conheça Jesus Mestre
e compreenda o seu Evangelho. 
Ó Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tem piedade de nós.

1- Leitura (Verdade)


O que diz o texto do dia? 
Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Mc 10,1-12, e observo as recomendações de Jesus.
Jesus recorda neste trecho que a lei de Moisés (Dt 24,1-3) tentava proteger os direitos da mulher, mesmo concedendo vantagem ao homem. Os fariseus querem "conseguir uma prova contra ele, Jesus". Apresentam-lhe a questão, partindo de Moisés, supondo que Jesus negue a lei. Jesus aceita o desafio. Refere-se ao Gênesis e ao Deuteronômio. Reporta-se ao projeto original de Deus (Gn 1,27) que busca a igualdade entre os cônjuges e a entrega total e duradoura que une. "Ninguém separe o que Deus uniu", diz Jesus. Cônjuge vem de conjugar, significa "unir sob um jugo", apegar-se e aderir.

2- Meditação (Caminho)


O que o texto diz para mim, hoje?
Fala-me de ensinamentos e gestos de Jesus que são fundamentais para uma vida cristã. Os bispos, em Aparecida, recordaram: 
"O fato de sermos amados por Deus enche-nos de alegria. O amor humano encontra sua plenitude quando participa do amor divino, do amor de Jesus que se entrega solidariamente por nós em seu amor pleno até o fim (cf. Jo 13,1; 15,9). O amor conjugal é a doação recíproca entre um homem e uma mulher, os esposos: é fiel e exclusivo até a morte e fecundo, aberto à vida e à educação dos filhos, assemelhando-se ao amor fecundo da Santíssima Trindade. O amor conjugal é assumido no Sacramento do Matrimônio para significar a união de Cristo com sua Igreja. Por isso, na graça de Jesus Cristo ele encontra sua purificação, alimento e plenitude ( Ef 5,23-33)." (DAp 117).

3- Oração (Vida)


O que o texto me leva a dizer a Deus? 
Rezo, a Oração da Paz pedindo esta paz para as famílias.
Senhor,
Fazei-me um instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.
Ó Mestre,
Fazei que eu procure mais consolar, que ser consolado;
Compreender, que ser compreendido;
Amar, que ser amado,
Pois é dando que recebe,
É perdoando que se é perdoado,
E é morrendo que se vive para a vida eterna.

4- Contemplação (Vida e Missão)


Qual meu novo olhar a partir da Palavra? 
Meu novo olhar e oração é orientado para as famílias que sofrem a desintegração e se encontram perdidas.

Bênção


- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.


Ir. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Conselho do Dia

Este é o conselho que a Imitação de Cristo lhe dá para hoje:
A alma: Senhor, eu não sou digno da vossa consolação, nem de visita alguma espiritual, e por isso me tratais com justiça, quando me deixais pobre e desconsolado. Porque, mesmo que pudesse derramar um mar de lágrimas, ainda assim não seria digno de vossa consolação. Outra coisa não mereço, pois, senão ser flagelado e punido por tantas ofensas e tão graves delitos que cometi. Assim, portanto bem considerado tudo, não sou digno nem da menor consolação. Vós, porém, Deus clemente e misericordioso, que não quereis que pereçam vossas obras, para manifestar as riquezas de vossa bondade nos vasos de misericórdia, vos dignais de consolar vosso servo, sem merecimento algum, de todo sobre-humano. Porque vossas consolações não são como as consolações humanas. ( Que o homem se não repute digno de consolação, mas merecedor de castigo)

Certamente estas palavras se referem a alguma necessidade sua. 
Mas isso só você saberá entender.

Fonte: Imitação de Cristo

SANTO DO DIA - 27/02/2014

27/02
São Gabriel da Virgem Dolorosa
O Santo de hoje nasceu em 1838 na cidade de Assis, de família nobre, embora tenha perdido muito cedo sua mãe, recebeu do pai ótima educação na fé e piedade. O nome de Batismo de Gabriel era Francisco, e era um jovem muito inteligente, tendido ao teatro, bailes e leitura de romances. Francisco estava com os pés, como que em duas canoas, já que piedoso e muitas vezes arrependido dos pecados, ainda dava brecha ao Inimigo através de vaidades. Francisco desde cedo era chamado ao sacerdócio, mas sempre ia deixando de lado seu chamado e suas promessas até que diante da morte de sua amada irmã e desiludido da vida foi participar de uma procissão de Nossa Senhora da Glória, a qual numa certa altura lhe tocou o coração dizendo: "Francisco, o mundo não é para ti; Deus te quer no convento". Resolvido entrou na vida consagrada e em pouco tempo percorreu um lindo caminho para a santidade, agora com o nome , que trazia sua forte devoção a Maria: São Gabriel da Virgem Dolorosa. Com apenas vinte e três anos São Gabriel pegou uma tuberculose que o fez sofrer muito, porém pela sua agilidade interior ele fez o sofrimento servi-lo na santidade, pois antes de entrar no céu em 1862 se uniu à contemplação do Cristo sofredor.

LITURGIA DIÁRIA - 27/02/2014


Quinta-feira: 27/02/2014
Primeira Leitura: Tg 5,1-6

VII SEMANA DO TEMPO COMUM
(verde - ofício do dia)



Leitura da Carta de São Tiago.

1E agora, ricos, chorai e gemei, por causa das desgraças que estão para cair sobre vós. 2Vossa riqueza está apodrecendo, e vossas roupas estão carcomidas pelas traças.3Vosso ouro e vossa prata estão enferrujados, e a ferrugem deles vai servir de testemunho contra vós e devorar vossas carnes, como fogo! Amontoastes tesouros nos últimos dias. 4Vede: o salário dos trabalhadores que ceifaram os vossos campos, que vós deixastes de pagar, está gritando, e o clamor dos trabalhadores chegou aos ouvidos do Senhor todo-poderoso. 5Vós vivestes luxuosamente na terra, entregues à boa vida, cevando os vossos corações para o dia da matança. 6Condenastes o justo e o assassinastes; ele não resiste a vós.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.


Responsório (Sl 48)


— Felizes os humildes de espírito porque deles é o Reino dos Céus!
— Felizes os humildes de espírito porque deles é o Reino dos Céus!

— Este é o fim do que espera estultamente, o fim daqueles que se alegram com sua sorte; são um rebanho recolhido ao cemitério, e a própria morte é o pastor que os apascenta.
— São empurrados e deslizam para o abismo. Logo seu corpo e seu semblante se desfazem, e entre os mortos fixarão sua morada. Deus, porém, me salvará das mãos da morte e junto a si me tomará em suas mãos.
— Não te inquietes, quando um homem fica rico e aumenta a opulência de sua casa; pois ao morrer não levará nada consigo, nem seu prestígio poderá acompanhá-lo.
— Felicitava-se a si mesmo enquanto vivo: “Todos te aplaudem, tudo bem, isto que é vida!” Mas vai-se ele para junto de seus pais, que nunca mais e nunca mais verão a luz!


Evangelho (Mc 9,41-50)

— O Senhor esteja conosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 41Quem vos der a beber um copo de água, porque sois de Cristo, não ficará sem receber a sua recompensa. 42E se alguém escandalizar um desses pequeninos que creem, melhor seria que fosse jogado no mar com uma pedra de moinho amarrada ao pescoço.
43Se tua mão te leva a pecar, corta-a! 44É melhor entrar na Vida sem uma das mãos, do que, tendo as duas, ir para o inferno, para o fogo que nunca se apaga. 45Se teu pé te leva a pecar, corta-o! 46É melhor entrar na Vida sem um dos pés, do que, tendo os dois, ser jogado no inferno. 47Se teu olho te leva a pecar, arranca-o! É melhor entrar no Reino de Deus com um olho só, do que, tendo os dois, ser jogado no inferno,48‘onde o verme deles não morre, e o fogo não se apaga’”. 49Pois todos hão de ser salgados pelo fogo. 50Coisa boa é o sal. Mas se o sal se tornar insosso, com que lhe restituireis o tempero? Tende, pois, sal em vós mesmos e vivei em paz uns com os outros.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

O Evangelho do Dia - 27/02/2014

Ano A - DIA 27/02


Gravidade dos escândalos - Mc 9,41-50

“Quem vos der um copo de água para beber porque sois de Cristo, não ficará sem receber a sua recompensa. E quem provocar a queda um só destes pequenos que creem em mim, melhor seria que lhe amarrassem uma grande pedra de moinho ao pescoço e o lançassem no mar. Se tua mão te leva à queda, corta-a! É melhor entrares na vida tendo só uma das mãos do que, tendo as duas, ires para o inferno, para o fogo que nunca se apaga. […] Se teu pé te leva à queda, corta-o! É melhor entrar na vida tendo só um dos pés do que, tendo os dois, ser lançado ao inferno. […] Todos serão salgados pelo fogo. O sal é uma coisa boa; mas se o sal perder o sabor, como devolver-lhe o sabor? Tende sal em vós mesmos e vivei em paz uns com os outros.”


Leitura Orante

Oração Inicial


- A nós, a paz de Deus, nosso Pai, 
a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, 
no amor e na comunhão do Espírito Santo. 
- Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!
Preparo-me para a leitura, rezando:
Jesus Mestre, que dissestes: 
"Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, 
eu aí estarei no meio deles", 
ficai conosco,
aqui reunidos (pela grande rede da internet),
para melhor meditar 
e comungar com a vossa Palavra. 
Sois o Mestre e a Verdade: 
iluminai-nos, para que melhor compreendamos 
as Sagradas Escrituras. 
Sois o Guia e o Caminho: 
fazei-nos dóceis ao vosso seguimento. 
Sois a Vida: 
transformai nosso coração em terra boa,
onde a Palavra de Deus produza frutos 
abundantes de santidade e missão. 
(Bv. Alberione)

1- Leitura (Verdade)


O que diz o texto do dia? 
Leio na Bíblia, atentamente, o texto: Mc 9,41-50, e observo as palavras de Jesus.
Jesus fala de escândalos contra os "pequeninos que crêem". Na Bíblia, quando se diz que alguém foi motivo de escândalo, significa que ele levou alguém a errar. Na etimologia da palavra, do grego skandalon, significa"obstáculo" ou "armadilha" para derrubar alguém. Jesus diz que este obstáculo podem ser as mãos ou os pés. Fala em arrancar os olhos, cortar as mãos ou os pés, significando a gravidade da perda da fé.

2- Meditação (Caminho)


O que o texto diz para mim, hoje? Qual palavra mais me toca o coração? 
As mutilações de que fala Jesus são para mostrar a gravidade dos escândalos: o pé que anda no mau caminho, a mão que é utilizada para causar destruição e induzir outras pessoas a fazer o mesmo. Em Aparecida os bispos falaram de um escândalo causado pela exclusão e pela injustiça. Disseram: "Segue uma dinâmica de concentração de poder e de riqueza em mãos de poucos. Concentração não só dos recursos físicos e monetários, mas sobretudo de informação e dos recursos humanos, o que produz a exclusão de todos aqueles não suficientemente capacitados e informados, aumentando as desigualdades que marcam tristemente nosso continente e que mantêm na pobreza uma multidão de pessoas. O que existe hoje é a pobreza de conhecimento e do uso e acesso a novas tecnologias. Por isso é necessário que os empresários assumam sua responsabilidade de criar mais fontes de trabalho e de investir na superação desta nova pobreza." (DAp 62). 

3- Oração (Vida)


O que o texto me leva a dizer a Deus? 
Rezo com a canção:
RELIGIÃO LIBERTADORA
Pe.Zezinho, scj
É por causa do meu povo machucado
Que acredito em religião libertadora
É por causa de Jesus ressuscitado
Que acredito em religião libertadora

É por causa dos profetas que anunciam
Que batizam, que organizam, denunciam
É por causa de quem sofre a dor do povo
É por causa de quem morre sem matar

É por causa do pequenos e oprimidos
Dos seus sonhos, dos seus ais, dos seus gemidos
É por causa do meu povo injustiçado
Das ovelhas sem rebanho e sem pastor

É por causa do profeta que se cala
Mas até com seu silêncio grita e fala
É por causa de um Jesus que anunciava
Mas também gritava aos grandes: ai de vós

É por causa do que fez João Batista
Que arriscou mas preparou a tua vinda
É por causa de milhões de testemunhas
Que apostaram sua vidas no amor.

4- Contemplação (Vida e Missão)


Qual meu novo olhar a partir da Palavra? 
Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Vou eliminar do meu modo de pensar e agir aquilo que não vem de Deus, que pode ser motivo de escândalo ao meu irmão. 

Bênção


- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.


Ir. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Programação das Missas da Paróquia de N. S. de Fátima durante o período do carnaval

O Padre José Alexandre Lopes, comunica aos Fieis da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima Caicó-RN, que no domingo de carnaval 02/03, só haverá Celebração da Santa Missa na Igreja São Joaquim no Bairro de Boa Passagem no horário da manhã (6h30) e retornara a ter Missa somente na Quarta-feira de cinzas. As Missas serão realizadas nesse dia na Capela de São Joaquim com horas a definir, na Igreja Matriz às 19hs e em Laginhas às 21hs.

Conselho do Dia

Este é o conselho que a Imitação de Cristo lhe dá para hoje:
Em que posso, pois, esperar ou em que devo confiar, senão na grande misericórdia de Deus e na esperança da graça celestial? Porque, ou me assistem homens justos, irmãos devotos e amigos fiéis, ou livros santos e formosos tratados, ou cânticos e hinos suaves, tudo isso de pouco me serve e pouco me agrada, quando estou desamparado da graça e entregue à minha própria pobreza. Não há então melhor remédio que Deus. ( Da privação de toda consolação)

Certamente estas palavras se referem a alguma necessidade sua. 
Mas isso só você saberá entender.

Fonte: Imitação de Cristo

SANTO DO DIA - 26/02

26/02
Santo Alexandre
Hoje lembramos a vida de Santo Alexandre que governou a Igreja em Alexandria. Alexandre Santo bispo esteve na zelando pelo rebanho do Cristo, e principalmente cuidando do alimento doutrinal que começou a ser ameaçado pelo Arianismo. Ário era um sacerdote de Alexandria que começou a espalhar uma mentira que afirmava que somente o Pai pode ser chamado Deus, enquanto que Cristo é inferior ao Pai, distinto por natureza do Pai, e portanto criatura, excelente e superior às demais, mas não divina nem eterna. Várias correções o bispo Alexandre fez a Ário, mas irreversível não deixou de envenenar os cristãos, mesmo depois de saber da condenação de sua doutrina. Santo Alexandre, um ano antes de sua morte com o imperador Constantino e principalmente o papa da época, foram os responsável pela realização do Concílio Ecumênico em Nicéia, Ásia Menor, que definitivamente condenou a heresia e definiu: " Filho Unigênito do Pai...consubstancial ao Pai".



Santa Paula M. Fornés de São José de Calazans
Na vila de Arenys de Mar, perto de Barcelona, Espanha, nasceu Paula Montal Fornés em 11 de outubro de 1799, que no mesmo dia recebeu o batismo. Paula passou a infância e a juventude em sua cidade natal, trabalhando desde os 10 anos de idade, quando seu pai morreu. O seu lazer era a vida espiritual da sua paróquia, onde se destacou por sua devoção à Virgem Maria.

Paula Montal, durante este período, constatou, por sua própria experiência, que as possibilidades de acesso à instrução e educação para as mulheres eram quase nenhuma. Um dia quando estava em profunda oração, se sentiu iluminada por Deus para desenvolver este dever. Decidiu deixar sua cidade natal para fundar um colégio inteiramente dedicado à formação e educação feminina.

Paula Montal se transferiu para a cidade de Figueras, junto com mais três amigas de espiritualidade Mariana, e iniciou sua obra. Em 1829, ela abriu a primeira escola para meninas, com amplos programas educativos, que superavam o sistema pedagógico dos meninos. Era uma escola nova.

Assim, Paula Montal com o seu apostolado totalmente voltado à formação feminina, se tornou a fundadora de uma família religiosa, inspirada no lema de São José de Calazans: "piedade e letras". Sempre fiel a sua devoção à Virgem Maria, deu o nome para a sua Congregação de Filhas de Maria. A estas religiosas transmitiu seu ideal de: "Salvar a família, educar as meninas no santo temor de Deus". E continuou se dedicando à promoção da mulher e da família.

Em 1842, abriu o segundo colégio em sua terra natal, Arenys de Mar. Nesta época, Paula Montal decidiu seguir os regulamentos da Congregação dos Padres Escolápios, fundada por São José de Calazans com quem se identificava espiritualmente. Um ano após abrir sua terceira escola, Paula Montal conseguiu a autorização canônica para, junto com suas três companheiras, se tornar religiosa escolápia. Em 1847, a congregação passou a ser Congregação das Filhas de Maria, Religiosas Escolápias, que ano após ano crescia e criava mais escolas por toda a Espanha.

Paula Montal deu a prova final de autenticidade, da coragem e da ternura do seu espírito modelado por Deus, em 1959. Neste ano, no pequeno e pobre povoado de Olesa de Montserrat, fundou sua última obra pessoal: um colégio ao lado do mosteiro da Virgem de Montserrat. Alí ficou durante trinta anos escondida, praticando seu apostolado. Morreu aos 26 de fevereiro de 1889 e foi sepultada na capela da Igreja da Matriz de Olesa Montserrat, Barcelona, Espanha.

Solenemente foi beatificada em 1993, pelo Papa João Paulo II que posteriormente a canonizou em Roma, no ano de 2001. A mensagem, do século XIX, de Santa Paula Montal Fornés de São José de Calazans será sempre atual e fonte de inspiração para a formação das gerações do terceiro milênio cristão.

LITURGIA DIÁRIA - 26/02/2014


Quarta-feira: 26/02/2014
Primeira Leitura: Tg 4,13-17

VII SEMANA DO TEMPO COMUM
(verde - ofício do dia)



Leitura da Carta de São Tiago.

Caríssimos, 13e agora, vós que dizeis: “Hoje ou amanhã iremos a tal cidade, passaremos ali um ano, negociando e ganhando dinheiro”. 14No entanto, não sabeis nem mesmo o que será da vossa vida amanhã! Com efeito, não passais de uma neblina que se vê por um instante e logo desaparece.
15Em vez de dizer: “Se o Senhor quiser, estaremos vivos e faremos isto ou aquilo”,16vós vos gloriais de vossas fanfarronadas. Ora, toda a arrogância deste tipo é um mal.17Assim, aquele que sabe fazer o bem e não o faz incorre em pecado.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.


Responsório (Sl 48)

— Felizes os humildes de espírito porque deles é o Reino dos Céus!
— Felizes os humildes de espírito porque deles é o Reino dos Céus!

— Ouvi isto, povos todos do universo, muita atenção, ó habitantes deste mundo; poderosos e humildes, escutai-me, ricos e pobres, todos juntos, sede atentos!
— Por que temer os dias maus e infelizes, quando a malícia dos perversos me circunda? Por que temer os que confiam nas riquezas e se gloriam na abundância de seus bens?
— Ninguém se livra de sua morte por dinheiro nem a Deus pode pagar o seu resgate. A isenção da própria morte não tem preço; não há riqueza que a possa adquirir, nem dar ao homem uma vida sem limites e garantir-lhe uma existência imortal.
— Morrem os sábios e os ricos igualmente; morrem os loucos e também os insensatos, e deixam tudo o que possuem aos estranhos.


Evangelho (Mc 9,38-40)

— O Senhor esteja conosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 38João disse a Jesus: “Mestre, vimos um homem expulsar demônios em teu nome. Mas nós o proibimos, porque ele não nos segue”. 39Jesus disse: “Não o proibais, pois ninguém faz milagres em meu nome para depois falar mal de mim.40Quem não é contra nós é a nosso favor”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

O Evangelho do Dia - 26/02/2014

Ano A - DIA 26/02


Quem não é contra nós é por nós - Mc 9,38-40

João disse a Jesus: “Mestre, vimos alguém expulsar demônios em teu nome. Mas nós o proibimos, porque ele não andava conosco”. Jesus, porém, disse: “Não o proibais, pois ninguém que faz milagres em meu nome poderá logo depois falar mal de mim. Quem não é contra nós, está a nosso favor”


Leitura Orante

Oração Inicial


- A nós, a paz de Deus, nosso Pai, 
a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, 
no amor e na comunhão do Espírito Santo. 
- Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!
Preparo-me para a leitura, rezando:
Jesus Mestre, que dissestes: 
"Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, 
eu aí estarei no meio deles", 
ficai conosco,
aqui reunidos (pela grande rede da internet),
para melhor meditar 
e comungar com a vossa Palavra. 
Sois o Mestre e a Verdade: 
iluminai-nos, para que melhor compreendamos 
as Sagradas Escrituras. 
Sois o Guia e o Caminho: 
fazei-nos dóceis ao vosso seguimento. 
Sois a Vida: 
transformai nosso coração em terra boa,
onde a Palavra de Deus produza frutos 
abundantes de santidade e missão. 
(Bv. Alberione)

1- Leitura (Verdade)


O que diz o texto do dia? 
Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Mc 9,38-40, e observo o diálogo entre os discípulos e Jesus.
Os discípulos estavam preocupados porque uma pessoa expulsava demônios em nome de Jesus e não era do seu grupo. Para eles isto era um abuso e devia ser proibido. A intolerância dos discípulos revelava o desejo de controlar a missão e evitar qualquer concorrência. Talvez considerassem a missão exclusividade deles e não admitissem a participação de outros. O Mestre expressa uma atitude de profunda tolerância para com o o homem exorcista. Era lógico: se o homem expulsou o demônio em nome de Jesus é porque tinha alguma comunhão com ele. Seria impossível que em seguida fosse falar mal do Mestre. Logo, podia livremente fazer o bem em nome de Jesus. 

2- Meditação (Caminho)


O que o texto diz para mim, hoje? Qual palavra mais me toca o coração? 
A postura de Jesus evitou que a comunidade se fechasse em si mesma, se transformando numa seita intolerante. Jesus fez uma orientação ecumênica. Os bispos também orientam para este diálogo: "Faz mais de quarenta anos que o Concílio Vaticano II reconheceu a ação do Espírito Santo no movimento pela unidade dos cristãos. Desde então, temos colhido muitos frutos. Neste campo, necessitamos de mais agentes de diálogo e melhor qualificados. É bom tornar mais conhecidas as declarações que a própria Igreja Católica tem subscrito no campo do ecumenismo desde o Concílio. Os diálogos bilaterais e multilaterais têm produzido bons frutos. Também é oportuno estudar o Diretório ecumênico e suas indicações em relação a catequese, a liturgia, a formação presbiteral e a pastoral. A mobilidade humana, característica do mundo atual, pode ser ocasião propícia para o diálogo ecumênico da vida." (DAp 231).
Como me sinto neste movimento e diálogo ecumênico?
O meu Projeto de vida é o do Mestre Jesus Cristo?

3- Oração (Vida)


O que o texto me leva a dizer a Deus? 
Rezo com o bem-aventurado Alberione:
Jesus Mestre, disseste que a vida eterna consiste 
em conhecer a ti e ao Pai. 
Derrama sobre nós, a abundância 
do Espírito Santo! 
Que ele nos ilumine, guie e fortaleça no teu seguimento, 
porque és o único caminho para o Pai. 
Faze-nos crescer no teu amor,
para que sejamos, como o apóstolo Paulo 
testemunhas vivas do teu Evangelho. 
Com Maria, 
Mãe Mestra e Rainha dos Apóstolos, 
guardaremos tua Palavra, 
meditando-a no coração. 
Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, tem piedade de nós.

4- Contemplação (Vida e Missão)


Qual meu novo olhar a partir da Palavra? 
Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Vou abrir meu coração para o diálogo ecumênico.

Bênção


- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.


Ir. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Conselho do Dia

Este é o conselho que a Imitação de Cristo nos dá para hoje:
A alma: Senhor, já que fostes tão paciente em vossa vida, cumprindo nisso principalmente a vontade de vosso Pai, justo é que eu, mísero pecador, me sofra a mim com paciência, conforme quereis, e suporte por minha salvação o fardo desta vida corruptível. Porque, se bem que a vida presente seja pesada, torna-se, contudo, com a vossa graça, muito meritória e, com vosso exemplo e o de vossos santos, mais tolerável e leve para os fracos. É também muito mais consolada do que outrora, na lei antiga, quando a porta do céu estava fechada, e bem poucos tratavam de buscar o reino dos céus. Nem os justos sequer e predestinados podiam entrar no reino celeste antes da vossa paixão e resgate da vossa sagrada morte. ( Como, a exemplo de Cristo, se hão de sofrer com igualdade de ânimo as misérias temporais)

Certamente estas palavras se referem a alguma necessidade sua. 
Mas isso só você saberá entender.

Fonte: Imitação de Cristo

SANTO DO DIA - 25/02

25/02
São Tarásio
Lembramos neste dia Santo Tarásio que nasceu em 730 e recebeu uma ótima educação cristã e literária; tinha como pai o prefeito de Constantinopla. São Tarásio era de caráter zeloso de tal forma que foi nomeado pelo imperador a um alto cargo imperial. São Tarásio enfrentou em Deus todas as tentações próprias da sociedade cheia de luxo e tentação. Agora muito forte no século VIII era a heresia iconoclasta promovida pelo imperador Leão que não compreendendo acusa o culta as imagens , como uma prática de idolatria. Ao assumir o patriarcado , São Tarásio em comunhão com o Papa combateu e conseguiu condenar esta heresia num Concílio. Cuidadoso com suas ovelhas tinha como um grande espírito de serviço, ao ponte de dizer ao ser questionado pelo seu especial cuidado para com os pobres: "Minha única ambição é imitar Nosso Senhor Jesus Cristo que viveu para servir e não para ser servido".

LITURGIA DIÁRIA - 25/02/2014


Terça-feira: 25/02/2014
Primeira Leitura: Tg 4,1-10

VII SEMANA DO TEMPO COMUM
(verde - ofício do dia)



Leitura da Carta de São Tiago.

Caríssimos, 1de onde vêm as guerras? De onde vêm as brigas entre vós? Não vêm, justamente, das paixões que estão em conflito dentro de vós? 2Cobiçais, mas não conseguis ter. Matais e cultivais inveja, mas não conseguis êxito. Brigais e fazeis guerra, mas não conseguis possuir. E a razão está em que não pedis.
3Pedis, sim, mas não recebeis, porque pedis mal. Pois só quereis esbanjar o pedido nos vossos prazeres. 4Adúlteros, não sabeis que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Assim, todo aquele que pretende ser amigo do mundo torna -se inimigo de Deus.
5Ou julgais ser em vão que a Escritura diz: “Com ciúme anela o espírito que nos habita”? 6Mas ele nos dá uma graça maior. Por isso, a Escritura diz: “Deus resiste aos soberbos, mas concede a graça aos humildes”. 7Obedecei pois a Deus, mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. 8Aproximai-vos de Deus, e ele se aproximará de vós. Purificai as mãos, ó pecadores, e santificai os corações, homens dúbios.
9Ficai tristes, vesti o luto e chorai. Transforme-se em luto o vosso riso, e a vossa alegria em desalento. 10Humilhai-vos diante do Senhor, e ele vos exaltará.


- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.


Responsório (Sl 54)

— Confia teus cuidados ao Senhor, e ele há de ser o teu sustento!
— Confia teus cuidados ao Senhor, e ele há de ser o teu sustento!

— É por isso que eu digo na angústia: “Quem me dera ter asas de pomba e voar para achar um descanso! Fugiria, então, para longe, e me iria esconder no deserto.
— Acharia depressa um refúgio contra o vento, a procela, o tufão”. Ó Senhor, confundi as más línguas.
— Dispersai-as, porque na cidade só se vê violência e discórdia! Dia e noite circundam seus muros.
— Lança sobre o Senhor teus cuidados, porque ele há de ser teu sustento, e jamais ele irá permitir que o justo para sempre vacile!


Evangelho (Mc 9,30-37)

— O Senhor esteja conosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 30Jesus e seus discípulos atravessavam a Galileia. Ele não queria que ninguém soubesse disso, 31pois estava ensinando a seus discípulos. E dizia-lhes: “O Filho do Homem vai ser entregue nas mãos dos homens, e eles o matarão, mas, três dias após sua morte, ele ressuscitará”.
32Os discípulos, porém, não compreendiam estas palavras e tinham medo de perguntar. 33Eles chegaram a Cafarnaum. Estando em casa, Jesus perguntou-lhes: “Que discutíeis pelo caminho?” 34Eles, porém, ficaram calados, pois pelo caminho tinham discutido quem era o maior.
35Jesus sentou-se, chamou os doze e lhes disse: “Se alguém quiser ser o primeiro, que seja o último de todos e aquele que serve a todos!” 36Em seguida, pegou uma criança, colocou-a no meio deles, e abraçando-a disse: 37“Quem acolher em meu nome uma dessas crianças, é a mim que estará acolhendo. E quem me acolher, está acolhendo, não a mim, mas àquele que me enviou”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

O Evangelho do Dia - 25/02/2014

Ano A - DIA 25/02


O maior, o mais importante - Mc 9,30-37

Partindo dali, Jesus e seus discípulos atravessavam a Galileia [...]. Ele ensinava seus discípulos e dizia-lhes: “O Filho do Homem vai ser entregue às mãos dos homens, e eles o matarão. Morto, porém, três dias depois ressuscitará”. [...] Jesus sentou-se, chamou os Doze e lhes disse: “Se alguém quiser ser o primeiro, seja o último de todos, aquele que serve a todos!” Em seguida, pegou uma criança e, abraçando-a, disse: “Quem acolhe em meu nome uma destas crianças, a mim acolhe. E quem me acolhe, acolhe, não a mim, mas Àquele que me enviou”.

Leitura Orante

Oração Inicial


Preparo-me para a Leitura Orante,
com a prece de Jean Crasset:
Senhor, 
deixo-me conduzir pela vossa sabedoria.
Repouso na vossa bondade.
Apoio-me na vossa força.
Confio na vossa misericórdia.

1- Leitura (Verdade)


- O que a Palavra diz? 
Leio atentamente o texto bíblico de hoje: Mc 9,30-37.
Caminhando pela Galiléia, Jesus " ensinava os seus discípulos". Fala-lhes de sua Paixão, Morte e Ressurreição. Os discípulos não entendiam e tinham medo deste assunto. Preferiam não perguntar nada, mas discutiam, entre si, sobre quem seria o maior. Como era difícil para os amigos de Jesus entender a sua proposta! O Mestre, então, lhes ensinou que, quem quiser ser o primeiro, seja o último e aquele que serve. Falou ainda de acolhimento aos pequenos.


2- Meditação (Caminho)


- O que a Palavra diz para mim? 
Como fica a proposta de Jesus para o mundo de hoje? 
Nosso mundo estimula a competição individual, econômica, social. Nos ambientes de trabalho, às vezes, há uma cruel disputa de cargos e salários. A desigualdade social é imensa. No Brasil esta desigualdade é uma das maiores do mundo. Milionários, bilionários ganham milhões em somente um mês, enquanto a grande maioria da população passa fome, necessidades e está exposta à violência. O Brasil, apesar de estar entre as dez maiores economias do mundo, é um dos campeões de desigualdade social. Isto gera violência e insegurança.
Josué de Castro, intelectual brasileiro que pioneiramente mapeou o drama da fome no Brasil, fez a seguinte constatação: 
"Metade da humanidade não come e a outra metade não dorme com medo da que não come".
Bem diferente a proposta de Jesus: multiplicou os pães para saciar a fome da multidão e afirmou: 
"Se alguém quiser ser o primeiro, seja o último de todos, aquele que serve a todos!"
Vê-se que a questão continua a mesma do tempo de Jesus: a ganância para ser o maior, com o sacrifício dos outros.

3- Oração (Vida)


- O que a Palavra me leva a dizer a Deus? 
Faço orações pessoais e rezo:
Bom é louvar-vos, Senhor, nosso Deus,
que nos abrigais à sombra de vossas asas,
defendeis e protegeis a todos nós, vossa família,
como uma mãe, que cuida e guarda seus filhos. 
Senhor, que a vossa graça venha até nós
e transforme nosso coração. 
Amém.

4- Contemplação (Vida e Missão)


Qual o meu novo olhar a partir da Palavra? 
Posso começar hoje, a vencer toda violência, fruto da desigualdade e da ganância de poder, 
dispensando maior atenção aos pequenos.

Bênção


- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.


Ir. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

O carnaval é mal em sua natureza


Pe. Marcélo Tenorio

Por causa do pecado original herdamos uma natureza decaída. Não fazemos, como nos diz S. Paulo o bem que desejamos, mas o mal que não queremos fazer. É a concupiscência da carne; a inclinação que temos ao mal, que nos afasta de Deus, nosso Sumo Bem.

A moral católica nos ensina que não existem “Atos Neutros”, de forma que tudo que fazemos nos levam ou para Deus, ou para longe Dele.

S. Paulo nos admoesta:

“Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus.” ( I Cor 10, 31).

Aqui está a chave de tudo: ” Dar glória a Deus” pelos nossos atos. De forma que, diante disso, cabe-nos a interrogação: o que faço, o que realizo leva-me a dar glória a Deus?

A glória de Deus, ensina Santo Irineu, “É o homem Vivo!”. E é óbvio que trata-se aqui da vida na graça.

Estar na Glória de Deus é viver na graça e nela permanecer. Então devemos zelar, redobrar nossos esforços para que, permanecendo Nele , possamos dar-lhe a gloria que lhe é devida.

Nosso Senhor nos ensinou a procurar por primeiro o Reino de Deus e sua justiça. Noutros momentos nos admoestou à bravura e até à violência conosco mesmos: ” Se teu olho de faz pecar..” ou ” ..O reino dos céus é para os violentos”(Mt
11, 12.).

Ora o oposto da graça é o pecado. Então sendo assim devemos fugir das ocasiões que podem nos levar ao erro.

Assim a fuga do pecado é mais que uma obrigação, um dever de todos aqueles que amam a Deus e permanecem em seu santo temor.

Cabe-nos então perguntar:

O que faz um cristão em meio à folia carnavalesca? Não estaria ele se expondo gravemente ao pecado? E mesmo que, sendo ele alguém “impermeável “( o que não existe),sua presença ali não seria um ato grave de cumplicidade com o mal? Como ficar num local – mesmo que ileso – onde tantas almas são arrastadas à perdição? Que glória estaria dando a Deus comungando com os infiéis?

Mas, dirão: Estamos apenas nos divertindo. Que mal há nisso?

Ou ainda: O carnaval em si é bom. nada há de mal. O mal está naqueles que brincam indevidamente.

Santo Agostinho nos ensina que o pecado entra em nós pelos sentidos.

Ora, a ideia de que o carnaval é bom e que o pecado não é da festa mas do espírito dos que brincam, é falso e é usado por aqueles que rodopiando pelo catecismo, com malabarismos tentam justificar e absolver de culpa aquilo que é o centro de todo mal, o carnaval em si.

Essa forma de agir é próprio dos modernistas e já tão conhecida que o grande S. Pio X a condenou na célebre encíclica Pascendi Dominici Gregis , em 1907.

“O objeto é bom ( o carnaval), mas o espírito carnavalesco é que é responsável pelo mal que venha a existir, já que subjetivo.”

Coloco aqui a questão dos atos e dos vícios. Ora beber não é pecado, beber em demasia, sim. Assim com a comida, com o falar, etc. São as virtudes que vão moderar os atos humanos, para que não se caia em exageros. Bem verdade isso.

Ora, mas não podemos nos esquecer o que ensina a moral católica sobre as ocasiões que podem nos levar ao pecado.

Vejamos a questão das ocasiões próximas e remotas.

A ocasião remota é aquela que encontramos em toda parte, sobretudo nos dias de hoje, mas raramente arrasta a alma para o pecado. É mais fácil de ser driblada.

A ocasião próxima, por sua mesma natureza, induz ao pecado.

É claro que para alguns uma ocasião, que aos outros pode ser remota, torna-se próxima.

Claro que, como ensina Sto. Afonso, o “perigo não é igual nem o mesmo para todos.

Tratando-se do carnaval , não existe distinção entre a folia e foliar, pois a questão estar na natureza mesma da festa, uma natureza de insubordinação às regras, a preponderação da carne sobre o espírito, e disso não sairá outro resultado, senão a depravação dos costumes e a rejeição da prática das virtudes.

Se hoje temos um carnaval de se fazer inveja aos tempos do dilúvio não é causa de uma subjetividade de atos, mas da essência mesma da festa. É a sentença já conhecida: ” os que vivem na carne, na carne morrerão”

Novamente S. Paulo:

“Pois a carne deseja o que é contrário ao Espírito, e o Espírito o que é contrário à carne. Eles estão em conflito um com o outro, de modo que vocês não fazem o que desejam.” (Gálatas 5.17)

Mas qual o objetivo de se rodopiar tanto para salvar o “reinado de Momo?” Que necessidade existe em se gastar tantos escritos, argumentos inflamados em defesa de algo tão acidental e dispensável que é a folia de Momo?

A verdade é que, reinando Momo também reinamos nós em nossa carne, nos prazeres e nos desejos mais escondidos, aflorados ou não…É, na verdade a antiga busca romântica pela autonomia dos sentidos.

Ensina a Imitação de Cristo:

Pois a perfeita vitória é triunfar de si mesmo. Porque aquele que se
domina a tal ponto, que os sentidos obedeçam à razão e a razão lhe obedeça em todas as coisas, este é realmente vencedor de si mesmo e senhor do mundo.

O carnaval não é uma festa católica. Era uma festa pagã que os romanos realizavam em fevereiro, as februália. De forma que nada temos com ela, muito pelo contrário, devemos buscar o essencial para nós que é o Sumo Bem e ensinar isso àqueles que vivem aos ventos de seus próprios desejos, alimentando os seus sentidos com tudo o que lhe é prazeroso.

Ora, é justamente caminhando em sentido contrário, refreando os sentidos, pondo controle aos vícios que permanecemos na graça para a qual nós fomos criados. Os santos nos ensinam isso com a própria vida tão cheia de renúncias e conformidade com a vontade divina.

Leiamos bem o que vários santos falaram sobre o carnaval, sua repulsa e condenação a essa folia. A colocação dos santos são simples e clara. Não cabe aqui interpretações descabidas, na busca de um “não sei que” que legitime o que é mal em sua natureza e origem.

Fiquemos com os santos. Sabemos onde estão e como chegaram lá. Certamente não foi correndo atrás de folias, dando asas ao corpo..muito pelo contrário, “crucificaram-se com Cristo!

Agindo assim estaremos seguros.

E se a Glória de Deus é o homem vivo, então “Glorifiquemos a Deus em nossos corpos!”

Fonte: http://www.padremarcelotenorio.com/ e http://www.amormariano.com.br/artigos/o-carnaval-e-mal-em-sua-natureza/

Conselho do Dia

Este é o conselho que a Imitação de Cristo nos dá para hoje:
Ofereço-vos também todos os santos desejos das almas devotas, as necessidades de meus pais, amigos, irmãos, parentes e de todos os que me são caros, ou me fizeram bem a mim e a outros, por vosso amor; também daqueles que me encomendaram e pediram orações e Missas por si e para todos os seus, sejam vivos ou defuntos, para que todos sintam o auxílio da vossa graça, o socorro da vossa consolação, a proteção nos perigos, o alívio das penas e que, livres de todos os males, vos rendam jubilosos, muitas graças. ( Que devemos com tudo quanto é nosso oferecer-nos a Deus, e orar por todos)

Certamente estas palavras se referem a alguma necessidade sua. 
Mas isso só você saberá entender.

Fonte: Imitação de Cristo

SANTO DO DIA - 24/02

24/02
Tomás Maria Fusco
Tomás Maria Fusco nasceu em Pagani, uma pequena cidade italiana do Vale do Sarno, no dia 1 de dezembro de 1831. Seus pais, íntegros na conduta moral e religiosa, formaram uma família de oito filhos educados na piedade cristã. Aos oito anos ficou órfão, encontrando o amparo do tio e do irmão, ambos sacerdotes, que cuidaram de sua formação e educação, direcionadas para a vida religiosa, conforme seu próprio desejo.

Em 1847, entrou no seminário diocesano de Nocera, situado naquele mesmo Vale, onde completou os estudos teológicos e foi ordenado sacerdote. Desde o início do seu ministério abriu espaços e se dedicou à formação e aos cuidados das crianças, para as quais abriu em sua casa uma escola matinal. Com elas, padre Tomás Maria costumava passar em santa alegria os dias de festa. Na igreja da paróquia, restabeleceu a capela noturna para os jovens e adultos, a fim de promover sua formação humana e cristã.

Foi admitido na congregação dos missionários de São Vicente de Paulo, em 1857, tendo percorrido um longo itinerário missionário, especialmente nas regiões da Itália meridional. Três anos depois, quando foi nomeado capelão do santuário de Nossa Senhora do Carmo, em Pagani, desenvolveu as associações católicas masculinas e femininas, ergueu um altar para o culto ao Crucificado e criou a Pia União ao Preciosíssimo Sangue de Jesus.

Ele fundou, também na sua casa, em 1862, uma Escola de Teologia Moral para os sacerdotes destinada à sua habilitação para o ministério do confessionário, onde eram inflamados no amor ao Sangue de Cristo. Nesse mesmo ano, instituiu a "Companhia do Apostolado Católico" para as missões populares.

O amor a Deus e amor ao próximo despertavam nele outra urgência: criar uma nova família religiosa destinada a cuidar das crianças abandonadas, particularmente dos órfãos, a quem ele privilegiava com sua ternura paterna. Após uma longa preparação na oração e inspirado pela Virgem Santíssima, em 1873, ele fundou a congregação das "Filhas da Caridade do Preciosíssimo Sangue". A obra iniciou com seu bispo, Dom Amirante, entregando o hábito para três religiosas e abençoando o orfanato, inaugurado com sete órfãs pobres. Neste momento da fundação, ele também foi advertido pelo seu bispo, que disse: "Você escolheu o título do Preciosíssimo Sangue? Pois bem, prepare-se para beber o cálice amargo".

De fato, o seu ministério bem realizado, sua vida de sacerdote exemplar, foi alvo de inveja e calúnia, lançada em 1880. Ele padeceu em silêncio com humilhações e perseguições, mas, foi com amor e sustentado pelo Senhor que carregou sua árdua cruz. Morreu no dia 24 de fevereiro de 1891, debilitado pela doença crônica no fígado, aos cinqüenta e nove anos.

Padre Tomás Maria Fusco foi Apóstolo da Caridade do Preciosíssimo Sangue, viveu amando os pobres e morreu perdoando os inimigos. Gozava da fama de santidade no meio do clero, do povo em geral e das suas filhas espirituais, hoje encontradas em várias regiões do mundo. O papa João Paulo II o beatificou em 2001 e o dia de sua morte determinado para a festa litúrgica.

LITURGIA DIÁRIA - 24/02/2014


Segunda-feira: 24/02/2014
Primeira Leitura: Tg 3,13-18

VII SEMANA DO TEMPO COMUM
(verde - ofício do dia)



Leitura da Carta de São Tiago.

Caríssimos, 13quem dentre vós é sábio e inteligente? Que ele mostre, por seu reto modo de proceder, a sua prática em sábia mansidão. 14Mas se fomentais, no coração, amargo ciúme e rivalidade, não vos glorieis nem procedais em contradição com a verdade. 15Essa não é a sabedoria que vem do alto. Ao contrário, é terrena, materialista, diabólica! 16Onde há inveja e rivalidade, aí estão as desordens e toda espécie de obras más. 17Por outra parte, a sabedoria que vem do alto é, antes de tudo, pura, depois pacífica, modesta, conciliadora, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade e sem fingimento. 18O fruto da justiça é semeado na paz, para aqueles que promovem a paz.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.



Responsório (Sl 18)

— Os ensinos do Senhor são sempre retos, alegria ao coração!
— Os ensinos do Senhor são sempre retos, alegria ao coração!

— A lei do Senhor Deus é perfeita, conforto para a alma! O testemunho do Senhor é fiel, sabedoria dos humildes.
— Os preceitos do Senhor são precisos, alegria ao coração. O mandamento do Senhor é brilhante, para os olhos é uma luz.
— É puro o temor do Senhor, imutável para sempre. Os julgamentos do Senhor são corretos e justos igualmente.
— Que vos agrade o cantar dos meus lábios e a voz da minha alma; que ela chegue até vós, ó Senhor, meu Rochedo e Redentor!


Evangelho (Mc 9,14-29)

— O Senhor esteja conosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 14descendo Jesus do monte com Pedro, Tiago e João e chegando perto dos outros discípulos, viram que estavam rodeados por uma grande multidão. Alguns mestres da Lei estavam discutindo com eles.
15Logo que a multidão viu Jesus, ficou surpresa e correu para saudá-lo. 16Jesus perguntou aos discípulos: “Que discutis com eles?” 17Alguém da multidão respondeu: “Mestre, eu trouxe a ti meu filho que tem um espírito mudo. 18Cada vez que o espírito o ataca, joga-o no chão e ele começa a espumar, range os dentes e fica completamente rijo. Eu pedi aos teus discípulos para expulsarem o espírito, mas eles não conseguiram”.
19Jesus disse: Ó geração incrédula! Até quando estarei convosco? Até quando terei de suportar-vos? Trazei aqui o menino”. 20E levaram-lhe o menino. Quando o espírito viu Jesus, sacudiu violentamente o menino, que caiu no chão e começou a rolar e a espumar pela boca.
21Jesus perguntou ao pai: “Desde quando ele está assim?” O pai respondeu: “Desde criança. 22E muitas vezes, o espírito já o lançou no fogo e na água para matá-lo. Se podes fazer alguma coisa, tem piedade de nós e ajuda-nos”.
23Jesus disse: “Se podes!... Tudo é possível para quem tem fé”. 24O pai do menino disse em alta voz: “Eu tenho fé, mas ajuda a minha falta de fé”. 25Jesus viu que a multidão acorria para junto dele. Então ordenou ao espírito impuro: “Espírito mudo e surdo, eu te ordeno que saias do menino e nunca mais entres nele”.
26O espírito sacudiu o menino com violência, deu um grito e saiu. O menino ficou como morto, e por isso todos diziam: “Ele morreu!” 27Mas Jesus pegou a mão do menino, levantou-o e o menino ficou de pé.
28Depois que Jesus entrou em casa, os discípulos lhe perguntaram a sós: “Por que nós não conseguimos expulsar o espírito?” 29Jesus respondeu: “Essa espécie de demônios não pode ser expulsa de nenhum modo, a não ser pela oração”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

O Evangelho do Dia - 24/02/2014

Ano A - DIA 24/02


A oração vence o mal - Mc 9,14-29

[...] “Mestre, eu trouxe a ti o meu filho que tem um espírito mudo. [...] Eu pedi aos teus discípulos que o expulsassem, mas eles não conseguiram”. Jesus lhes respondeu: “Ó geração sem fé! Até quando vou ficar convosco? Trazei-me o menino!” Quando o espírito viu Jesus, sacudiu violentamente o menino. Jesus perguntou ao pai: “Desde quando lhe acontece isso?” O pai respondeu: “Desde criança. [...] Se podes fazer alguma coisa, tem compaixão e ajuda-nos”. Jesus disse: “Se podes…? Tudo é possível para quem crê”. Imediatamente, o pai do menino exclamou: “Eu creio, mas ajuda-me na minha falta de fé”. [...].


Leitura Orante

Oração Inicial


Preparo-me para a leitura Orante, rezando com Jacques Lebret:
Pai, fonte de luz e de calor,
envia-nos hoje a tua Palavra viva, e faze que
aceitemos sem medo o sermos por ela abrasados.

1- Leitura (Verdade)


- O que a Palavra diz? Leio, na minha Bíblia, Marcos 9,14-29.
Um homem levou a Jesus seu filho, que estava com um "espírito mudo", dizendo que os discípulos não tinham conseguido expulsá-lo. O menino ficava agitado por causa do demônio. Jesus afirmou que "tudo é possível ao que crê".
"Eu creio", disse o homem, e confessou sua fé insuficiente. Jesus expulsou o demônio 
Em casa, os discípulos perguntaram por que eles não tinham conseguido expulsar o demônio. Jesus respondeu que aquele tipo de demônio só se expulsava com oração.

2- Meditação (Caminho)


- O que a Palavra diz para mim? Neste texto, a fé aparece como dom de Deus que se conquista pela oração.A oração do pai do menino pode ser modelo de nossa oração: "Eu creio, senhor, mas ajuda-me na minha falta de fé".No final, Jesus explica aos discípulos que também nós cristãos só podemos agir com plena força se pedirmos esta força ao Pai, em oração.Como é a minha oração? Freqüente? Confiante? Humilde? 
Disseram os bispos, em Aparecida: " Cremos e anunciamos "a boa nova de Jesus, Messias, Filho de Deus" (Mc 1,1). Como filhos obedientes á voz do Pai queremos escutar a Jesus (cf. Lc 9,35) porque Ele é o único Mestre (cf. Mt 23,8). Como seus discípulos sabemos que suas palavras são Espírito e Vida (cf. Jo 6,63.68). Com a alegria da fé somos missionários para proclamar o Evangelho de Jesus Cristo e, n Ele, a boa nova da dignidade humana, da vida, da família, do trabalho, da ciência e da solidariedade com a criação." (DAp 103).

3- Oração (Vida)


- O que a Palavra me leva a dizer a Deus? Reze ainda com Jacques Lebret:
Venha a tua Palavra, Senhor, e, 
uma vez aceso em nossos corações o teu fogo inextinguível, 
nós mesmos seremos portadores deste fogo uns para os outros.
Torna-nos, Senhor, palavras quentes e luminosas, 
capazes de incendiar o mundo, 
a fim de que cada pessoa possa sentir-se cercada 
pelas chamas infinitas do teu amor. Amém.

4- Contemplação (Vida e Missão)


- Qual o meu novo olhar a partir da Palavra? (Vida).
Quero transformar minha vida em oração para comunicar a força, a bondade e a misericórdia de Deus.

Bênção


- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.


Ir. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Conselho do Dia

Este é o conselho que a Imitação de Cristo nos dá para hoje:
Não é verdadeiro sofredor quem só quer sofrer quanto lhe parece e de quem lhe apraz. O verdadeiro paciente também não repara em quem exercita a paciência; se for seu superior, ou igual, ou inferior, se for homem bom e santo, ou mau e perverso. Mas, sem diferença de pessoa, sempre que lhe sucede qualquer adversidade, aceita-a gratamente da mão de Deus e a considera um grande lucro para sua alma. Porque aos olhos de Deus qualquer coisa, por insignificante que seja, que soframos por amor dele terá seu merecimento. ( Do sofrimento das injúrias e quem é provado verdadeiro paciente)

Certamente estas palavras se referem a alguma necessidade sua. 
Mas isso só você saberá entender.

Fonte: Imitação de Cristo

SANTO DO DIA - 23/02

23/02
São Policarpo
O Santo deste dia é um dos grandes Padres Apostólicos, ou seja, pertencia ao número daquele que conviveram com os os primeiros apóstolos e foram serviram de elo entre a Igreja primitiva e a Igreja do mundo greco-romano. São Policarpo foi sagrado bispo de Esrirna pelo próprio São João, o Evangelista. De caráter reto, de alto saber, amor a Igreja e fiel a ortodoxia da fé; Policarpo era respeitado por todos no Oriente. Com a perseguição o Santo bispo de 86 se escondeu até que preso foi dirigido ao governador que o obrigou a ofender a Cristo: "Há oitenta e seis anos sirvo a Cristo e nenhum mal tenho recebido dele. Como poderei rejeitar aquele a quem prestei culto e reconheço o meu Salvador". Condenado no estádio da cidade ele próprio subiu na fogueira e testemunhou para o povo: "Sede bendito para sempre, ó Senhor; que o vosso nome adorável seja glorificado por todos os séculos". São Policarpo morreu por amor a Deus em 155.