sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

“Um bom padre é sempre um padre conservador”

Arquivo:Fabio de melo padre mundano.jpg

Padre Paulo Ricardo onde ele faz uma clara declaração anti-modernismo, ao contrário da CN que sempre encorajou este tipo de inovações.

Trecho:

“Precisamos compreender que o mundo atual está doente de algo chamado: pruridos (coceira) de novidade. Vamos à Missa com a mesma disposição de quem vai ao cinema, em busca de novidades. Quando as equipes de liturgia se reúnem já pensam logo em fazer algo diferente, como se a Missa fosse um cinema. (…)”

“(…) Se continuarmos com isso, nossa geração será uma geração maldita, porque seremos nós, em 2 mil anos de cristianismo, os únicos que traíram a fé. Porque hoje cremos no Cristianismo? Porque homens e mulheres de fé não quiseram mudar uma vírgula daquilo que receberam da fé e tiveram o cuidado de transmitir a nós. Se os mártires se recusassem a passar pelo que passaram e resolvessem mudar a fé, adaptá-la ao mundo moderno, não teríamos a fé que temos hoje.”

” A Igreja tem que criar mecanismos de fidelidade, de forma que a Palavra que pregamos hoje seja a mesma
Palavra que os apóstolos pregaram.(…) Um bom padre é sempre um padre conservador. Padre que quer se adaptar à novidade não é bom padre. Bom padre é aquele que conserva a Palavra de Deus a mesma Palavra que receberam os apóstolos. Precisamos nos preocupar de que a Palavra que pregamos seja a mesma Palavra que os mártires pregaram, que santificou tanta gente antes de nós”

Lendo o trecho acima, nos dá a impressão que é um texto de Padres conservadores ou do professor Fedeli,
mas felizmente é de um padre diretamente ligado a CN. Não é a primeira vez que um padre se posiciona contra o próprio comportamente da associação da qual faz parte.

Atentem para a frase: “Um bom padre é sempre um padre conservador”

Padre que quer se adaptar à novidade não é bom padre. Bom padre é aquele que conserva a Palavra de Deus a mesma Palavra que receberam os apóstolos.”

Que Deus permite que o Padre Paulo Ricardo realmente esteja abrindo os olhos para a verdade.

Só faço uma ressalva a homilia do Padre onde ele diz: “A Igreja tem que criar mecanismos de fidelidade, de forma que a Palavra que pregamos hoje seja a mesma Palavra que os apóstolos pregaram.”

Esse mecanismo existe e se chama Magistério da Igreja, se ele não é obedecido, não quer dizer que não exista, mas sim que muitos sacerdotes os ignoram e desobedecem.

Pax et bonum

Conselho do Dia

Este é o conselho que a Imitação de Cristo nos dá para hoje:
Julgas que sempre há de ter consolações espirituais à medida de teus desejos? Nem sempre as tiveram os meus santos, passando ao contrário por muitas penas, várias tentações e grandes angústias. Mas eles suportaram tudo com paciência, mais confiados em Deus que em si, porque sabiam "que não têm proporção os sofrimentos desta vida com a futura glória" que os recompensa (Rom 8,18). Quereis obter logo o que tantos apenas conseguiram só depois de copiosas lágrimas e grandes trabalhos? Espera no Senhor, age varonilmente, e sê firme (Sl 26,14); não desanimes, não recues, mas expõe generosamente corpo e alma pela glória de Deus. Eu te recompensarei plenamente, e estarei contigo em toda tribulação (Sl 90,15) . ( Como nesta vida não há segurança contra a tentação)

Certamente estas palavras se referem a alguma necessidade sua. 
Mas isso só você saberá entender.

Fonte: Imitação de Cristo

SANTO DO DIA - 31/01/2014

31/01
São João Bosco
Fazemos memória de São João Bosco, fundador e pai da Família Salesiana. Dom Bosco viveu no apostolado a frase de São Dionísio "Das coisas divinas a mais divina é cooperar com Deus para salvar as almas"

Nasceu São João Bosco em 1815 próximo a Turim. Com dois anos de idade perdeu o pai, sendo assim a mãe Dona Margarida batalhou contra a pobreza para criar seus filhos. Tamanha era a luta de Dona Margarida que diante do chamado de João ao sacerdócio disse-lhe: "Eu nasci na pobreza, vivi sempre pobre e desejo morrer pobre. Se tu desejas tornar-te padre para ficar rico, eu nunca irei te visitar" Providencialmente toda os desafios e durezas da vida fizeram do coração sacerdote de vinte e seis anos, Dom Bosco, um homem sensível aos problemas dos jovens abandonados ou que viviam longe de suas famílias como operários. Desta realidade começou a desabrochar o carisma que concretamente construiu os Oratórios, que eram - como ainda são- lugares de resgate das Almas dos jovens.

Dom Bosco nasceu em Becchi, no Piemonte, Itália, a 16 de agosto de 1815. Era filho de humilde família de camponeses. Órfão de pai aos dois anos, viveu sua mocidade e fez os primeiros estudos no meio de inumeráveis trabalhos e dificuldades. Desde os mais tenros anos sentiu-se impelido para o apostolado entre os companheiros. Sua mãe, que era analfabeta, mas rica de sabedoria cristã, com a palavra e com o exemplo animava-o no seu desejo de crescer virtuoso aos olhos de Deus e dos homens.

Mesmo diante de todas as dificuldades, João Bosco nunca desistiu. Durante um tempo foi obrigado a mendigar para manter os estudos. Prestou toda a espécie de serviços. Foi costureiro, sapateiro, ferreiro, carpinteiro e, ainda nos tempos livres, estudava música.

Queria vivamente ser sacerdote. Dizia: "Quando crescer quero ser sacerdote para tomar conta dos meninos. Os meninos são bons; se há meninos maus é porque não há quem cuide deles". A Divina Providência atendeu os seus anseios. Em 1835 entrou para o seminário de Chieri.

Ordenado Sacerdote a 5 de junho de 1841, principiou logo a dar provas do seu zelo apostólico, sob a direção de São José Cafasso, seu confessor. No dia 8 de dezembro desse mesmo ano, iniciou o seu apostolado juvenil em Turim, catequizando um humilde rapaz de nome Bartolomeu Garelli. Começava assim a obra dos Oratórios Festivos, destinada, em tempos difíceis, a preservar da ignorância religiosa e da corrupção, especialmente os filhos do povo.

Em 1846 estabeleceu-se definitivamente em Valdocco, bairro de Turim, onde fundou o Oratório de São Francisco de Sales. Ao Oratório juntou uma escola profissional, depois um ginásio, um internato etc. Em 1855 deu o nome de Salesianos aos seus colaboradores. Em 1859 fundou com os seus jovens salesianos a Sociedade ou Congregação Salesiana.

Com a ajuda de Santa Maria Domingas Mazzarello, fundou em 1872 o Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora para a educação da juventude feminina. Em 1875 enviou a primeira turma de seus missionários para a América do Sul.

Foi ele quem mandou os salesianos para fundar o Colégio Santa Rosa em Niterói, primeira casa salesiana do Brasil, e o Liceu Coração de Jesus em São Paulo. Criou ainda a Associação dos Cooperadores Salesianos. Prodígio da Providência divina, a Obra de Dom Bosco é toda ela um poema de fé e caridade. Consumido pelo trabalho, fechou o ciclo de sua vida terrena aos 72 anos de idade, a 31 de janeiro de 1888, deixando a Congregação Religiosa Salesiana espalhada por diversos países da Europa e da América.

Se em vida foi honrado e admirado, muito mais o foi depois da morte. O seu nome de taumaturgo, de renovador do Sistema Preventivo na educação da juventude, de defensor intrépido da Igreja Católica e de apóstolo da Virgem Auxiliadora se espalhou pelo mundo inteiro e ganhou o coração dos povos. Pio XI, que o conheceu e gozou da sua amizade, canonizou-o na Páscoa de 1934.

Apesar dos anos que separam os dias de hoje do tempo em que viveu Dom Bosco, seu amor pelos jovens, sua dedicação e sua herança pedagógica vêm sendo transmitidos por homens e mulheres no mundo inteiro.

Hoje Dom Bosco se destaca na história como o grande santo Mestre e Pai da Juventude. Embora tenha feito repercutir pelo mundo o seu carisma e o sistema preventivo de salesiano, que é baseado na Razão, na Religião e na Bondade, Dom Bosco permaneceu durante toda a sua vida em Turim, na Itália. Dedicou-se como ninguém pelo bem-estar de muitos jovens, na maioria órfãos, que vinham do campo para a cidade em busca de emprego e acabavam sendo explorados por empregadores interessados em mão-de-obra barata ou na rua passando fome e convivendo com o crime.

Com atitudes audaciosas, pontuadas por diversas inovações, Dom Bosco revolucionou no seu tempo o modelo de ser padre, sempre contando com o apoio e a proteção de Nossa Senhora Auxiliadora. Aliás, o sacerdote sempre considerou como essencial na educação dos jovens a devoção à Maria.

Dom Bosco ficou muito famoso pelas frases que usava com os meninos do oratório e com os padres e irmãs que o ajudavam. Embora tenham sido criadas no século passado, essas frases, ainda hoje, são atuais e ricas de sabedoria. Elas demonstram o imenso carinho que Dom Bosco tinha pelos jovens.

Entre alguns exemplos, "Basta que sejam jovens para que eu vos ame.", "Prometi a Deus que até meu último suspiro seria para os jovens.", "O que somos é presente de Deus; no que nos transformamos é o nosso presente a Ele", "Ganhai o coração dos jovens por meio do amor", "A música dos jovens se escuta com o coração, não com os ouvidos."

O método de apostolado de Dom Bosco era o de partilhar em tudo a vida dos jovens; para isto no concreto abriu escolas de alfabetização, artesanato, casas de hospedagem, campos de diversão para os jovens com catequese e orientação profissional; foi por isso a Igreja reza: "Deus suscitou São João Bosco para dar à juventude um mestre e um pai".

De estatura atlética, memória incomum, inclinado à música e a arte, Dom Bosco tinha uma liguagem fácil , espírito de liderança e ótimo escritor. Este grande apóstolo da juventude foi elevado para o céu em 31 de janeiro de 1888 na cidade de Turim; a causa foi o outros, já que afirmava ter sido colocado neste mundo para os outros.

LITURGIA DIÁRIA - 31/01/2014


Sexta-feira: 31/01/2014
Primeira Leitura: 2Sm 11,1-4a.5-10a.13-17

3ª Semana Tempo Comum 
S. João Bosco Presb, memória
(branco - ofício do dia)



Leitura do Segundo Livro de Samuel.

1No ano seguinte, na época em que os reis costumavam partir para a guerra, Davi enviou Joab com os seus oficiais e todo o Israel, e eles devastaram o país dos amonitas e sitiaram Rabá. Mas Davi ficou em Jerusalém. 2Ora, um dia, ao entardecer, levantando-se Davi de sua cama, pôs-se a passear pelo terraço de sua casa e avistou dali uma mulher que se banhava. Era uma mulher muito bonita. 3Davi procurou saber quem era essa mulher e disseram-lhe que era Betsabeia, filha de Eliam, mulher do hitita Urias. 4aEntão Davi enviou mensageiros para que a trouxessem. Ela veio e ele deitou-se com ela. 5Em seguida, Betsabeia voltou para casa. Como ela concebesse, mandou dizer a Davi: “Estou grávida”; 6Davi mandou esta ordem a Joab: “Manda-me Urias, o hitita” E ele mandou Urias a Davi. 7Quando Urias chegou, Davi pediu-lhes notícias de Joab, do exército e da guerra. 8E depois disse-lhe: “Desce à tua casa e lava os pés”. Urias saiu do palácio do rei e, em seguida, este enviou-lhe um presente real. 9Mas Urias dormiu à porta do palácio com os outros servos do seu amo, e não foi para casa. 10a E contaram a Davi, dizendo-lhe: “Urias não foi para sua casa”. 13Davi convidou-o para comer e beber à sua mesa e o embriagou. Mas, ao entardecer, ele retirou-se e foi-se deitar no seu leito, em companhia dos servos do seu senhor, e não desceu para a sua casa. 14Na manhã seguinte, Davi escreveu uma carta a Joab e mandou-a pelas mãos de Urias. 15Dizia nela: “Colocai Urias na frente, onde o combate for mais violento, e abandonai-o para que seja ferido e morra”. 16Joab, que sitiava a cidade, colocou Urias no lugar onde ele sabia estarem os guerreiros mais valentes. 17Os que defendiam a cidade, saíram para atacar Joab, e morreram alguns do exército, da guarda de Davi. E morreu também Urias, o hitita.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.


Responsório (Sl 50)

— Misericórdia, ó Senhor, porque pecamos!
— Misericórdia, ó Senhor, porque pecamos!

— Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! Na imensidão de vosso amor, purificai-me! Lavai-me todo inteiro do pecado, e apagai completamente a minha culpa!
— Eu reconheço toda a minha iniquidade, o meu pecado está sempre à minha frente. Foi contra vós, só contra vós, que eu pequei. E pratiquei o que é mau aos vossos olhos!
— Mostrais assim quanto sois justo na sentença, e quanto é reto o julgamento que fazeis. Vede, Senhor, que eu nasci na iniquidade e pecador já minha mãe me concebeu.
— Fazei-me ouvir cantos de festa e de alegria, e exultarão estes meus ossos que esmagastes. Desviai o vosso olhar dos meus pecados e apagai todas as minhas transgressões!


Evangelho (Mc 4,26-34)

— O Senhor esteja conosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 26Jesus disse à multidão: “O reino de Deus é como quando alguém espalha a semente na terra. 27Ele vai dormir e acorda, noite e dia, e a semente vai germinando e crescendo, mas ele não sabe como isso acontece. 28a A terra, por si mesma, produz o fruto: primeiro aparecem as folhas, depois vem a espiga e, por fim, os grãos que enchem a espiga. 29Quando as espigas estão maduras, o homem mete logo a foice, porque o tempo da colheita chegou”. 30E Jesus continuou: “Com que mais poderemos comparar o Reino de Deus? Que parábola usaremos para representá-lo?31° Reino de Deus é como um grão de mostarda que, ao ser semeado na terra, é a menor de todas as sementes da terra. 32Quando é semeado, cresce e se torna maior do que todas as hortaliças, e estende ramos tão grandes, que os pássaros do céu podem abrigar-se à sua sombra”! 33 Jesus anunciava a Palavra usando muitas parábolas como estas, conforme eles podiam compreender. 34E só lhes falava por meio de parábolas, mas, quando estava sozinho com os discípulos, explicava tudo.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

O Evangelho do Dia - 31/01/2014

Ano A - DIA 31/01

A semente: paciência e esperança - Mc 4,26-34

Jesus dizia-lhes: “O Reino de Deus é como quando alguém lança a semente na terra. [...] Ora, logo que o fruto está maduro, mete-se a foice, pois o tempo da colheita chegou”. Jesus dizia-lhes: “Com que ainda podemos comparar o Reino de Deus? Com que parábola podemos apresentá-lo? É como um grão de mostarda que, ao ser semeado na terra, é a menor de todas as sementes. Mas, depois de semeada, cresce e se torna maior que todas as outras hortaliças, com ramos grandes a tal ponto que os pássaros do céu podem fazer seus ninhos em sua sombra”. Jesus lhes anunciava a palavra usando muitas parábolas como estas, de acordo com o que podiam compreender. [...].


Leitura Orante

Oração Inicial


Preparo-me para este momento, com a oração ao Espírito Santo:
A Vós, Espírito de verdade, 
consagro a mente, a fantasia e a memória: iluminai-me. 
Fazei-me conhecer Jesus Cristo e compreender o seu Evangelho. Amém.

1- Leitura (Verdade)


Faço a leitura lenta e atenta do texto da Palavra do dia: Mc 4,26-34.
Em um momento de silêncio, recordo o que li.
São duas pequenas parábolas. Uma fala do processo como se desenvolve o Reino de Deus. Exige paciência. 
A outra é sobre o resultado de uma pequena boa semente. Fala de esperança.

2- Meditação (Caminho)


O que a Palavra diz para mim?
O que me dizem estas duas parábolas de Jesus Mestre? Atualizo a Palavra, ligando-a à minha vida. 
O "Reino de Deus está perto". Dentro de mim. Como se desenvolve? Como o cultivo? Já me sinto discípulo/a missionário/a? Sinto-me "abrigo" para outras pessoas que buscam o Reino de Deus? Lembro-me das palavras dos bispos na Conferência de Aparecida: " No seguimento de Jesus Cristo, aprendemos e praticamos as bem-aventuranças do Reino, o estilo de vida do próprio Jesus: seu amor e obediência filial ao Pai, sua compaixão entranhável frente à dor humana, sua proximidade aos pobres e aos pequenos, sua fidelidade à missão encomendada, seu amor serviçal até a doação de sua vida. Hoje, contemplamos a Jesus Cristo tal como os Evangelhos nos transmitiram para conhecer o que Ele fez e para discernir o que nós devemos fazer nas atuais circunstâncias." (DA 139). 

3- Oração (Vida)


O que a Palavra me leva a dizer a Deus? 
Meu coração começa a bater em sintonia com o coração de Jesus. 
Vivo este momento em silêncio. E oro:
Espírito Santo,
dai-me um coração grande e forte
para amar todos, 
para servir a todos, 
para sofrer por todos! ( Paulo VI)

4- Contemplação (Vida e Missão)


Qual o novo olhar que a Palavra despertou em mim? 
Viverei este dia com olhar novo,"descobrindo" o Reino de Deus presente em cada situação, pessoa, dificuldade, alegria, realização, desafio, cultivando dentro de mim a paciência e a esperança. 
Por todos os internautas, para todas as pessoas, rezo com o apóstolo Paulo: "Que o Senhor realize todos os desejos que vocês têm de fazer o bem" . (2Ts 1,11).

Bênção


- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.


Ir. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

O que diz a bíblia sobre política e corrupção


                     “Ai dos que...justificam o ímpio por suborno, e ao justo negam justiça”.  (Isaías 5:23)

Neste texto, trago a tona um relato importante sobre o grande mau que a corrupção política vem causando em nosso país e consequentemente em nossas vidas.
Chamo a todos para que a luz da bíblia e dos ensinamentos deixados por cristo tiremos da vida pública os maus políticos, combatendo veemente a maldita CORRUPÇÃO a começar a partir das próximas eleições, cobrando honestidade, dignidade e compromisso dos candidatos.
Para que omissão e covardia não seja nunca mais sinônimo do povo de Deus.
        A corrupção é como um vírus altamente contagioso que atinge diversos setores da sociedade, como associações, sindicatos e até mesmo as igrejas, no entanto não são estes setores que mais preocupam a população brasileira, pois é na política que ela está mais presente, onde justamente direta e indiretamente atinge o maior numero de vítimas.
A maior prova de que a política brasileira está infectada pelo vírus da corrupção, se manifesta em seu mais grave sintoma – A compra de votos, ou seja, qualquer brinde ou ajuda financeira, dada em troca do voto, classifica o eleitor como mercadoria ambulante de preços variados.
Os mais caros se apresentam como representantes de um grupo de pessoas e se colocam como seus defensores, criticam o adversário do seu candidato, denunciam irregularidades e cobram soluções de melhorias para sua comunidade ou classe trabalhadora, tudo isso no intuito valorizar seu preço de mercado e vender além do seu voto, o voto de todos os que acreditavam em sua honestidade e compromisso social, mas não é só isso! em sua grande maioria essas pessoas são reincidentes neste tipo de ação, muitos esbanjam bens e imóveis comprados com dinheiro fruto de acordos espúrios feitos com determinados candidatos amantes da corrupção, essas pessoas geralmente estão ligadas exatamente a associações, sindicatos, igrejas ou qualquer outra instituição que de alguma forma detém um certo controle ou supremacia sobre um grande numero de pessoas.
Já o menos valorizado é exatamente aquele que se deixa iludir pela lábia dos corruptos de tabela que abusam de sua boa fé lhe repassando as migalhas da fortuna que recebera. E o pior! Mesmo iludido e enganado; Assim como o político corrupto que desvia recursos públicos para comprar votos e o intermediário que recebe pelo seu voto e os votos de seus pares, todos são corruptos.
Claro que toda regra tem exceção, pois existem aqueles representantes que não fazem política partidária na hora de defender a coletividade, tão pouco representam apenas seus interesses pessoais, pelo contrário colaboram efetivamente com o bem comum e direcionam cobranças a quem quer que seja responsável pelos problemas de sua comunidade ou classe trabalhadora, rejeitando qualquer tipo de acordo contrário aos princípios éticos. Estes sim deveriam ser eleitos dignos representantes do povo, bem como aquele cidadão que mesmo não sendo uma liderança comunitária ou de classe, luta contra a corrupção e denuncia as mazelas sociais existentes e que tem sua vida pautada pela honestidade e dignidade.
 Mais infelizmente pessoas assim raramente são lembradas, quem ganha mesmo é o ladrão é o corrupto, para a maioria dos eleitores não importa se ele desviou dinheiro da merenda escolar, da educação, da segurança pública e muito menos da saúde, onde milhares de pessoas morrem todos os dias por falta de verbas para compra de equipamentos cirúrgicos.
 Mais sabe o que eles fazem com esses recursos que falta em todas essas áreas e principalmente na saúde?
 Compram iates, mansões, jatinhos e usurfluem de todo o luxo que se pode imaginar.
 E sabe quem pagar a conta de tudo isso?
 O próprio eleitor que vende o voto por 5 ou 10 reais, por um saco de cimento, um botijão de gás, uma dentadura, um pinico ou 1 litro de cachaça, comprados com seu próprio dinheiro.
Combater a corrupção não é nada fácil, pois estamos lidando com a ganância humana, capaz de se aproveitar das mais absurdas situações a exemplo dos desastres naturais que resultaram na morte de milhares de pessoas e que deixaram desabrigadas tantas outras.
 Mas o pior não é isso, o pior é saber que a maioria da população se cala diante destas atrocidades, inclusive a sociedade civil organizada a qual tomarei como exemplo as igrejas, seus lideres e seguidores.
 Muitos lideres religiosos pregam para seu povo, que em política o cristão não deve se envolver
 A Bíblia diz:
“Quando o justo governa, o povo se alegra” (Provérbios 29:2)
Entretanto, muitos cristãos ainda dizem:
“Quando o justo governa... se corrompe”
Alguns dizem:
- “A política é muito suja e o cristão não deve se envolver”
A Bíblia diz: “Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.” (Mateus 5:14-16)
Os cristãos são a luz do mundo e o sal da terra, devemos nos envolver sim, aliás, o fato de haver tantos escândalos no meio político é justamente devido à ausência de mais pessoas honestas e íntegras. Se nós aplicássemos os princípios cristãos na política, com certeza ela não teria chegado ao nível em que  se encontra hoje.
- “A política é um meio muito corrupto, é impossível não se corromper”
Será que o ambiente político da babilônia ou no reino medo-persa, onde Daniel estava, não era corrupto? Com certeza não era muito diferente do que vemos hoje. A ponto dos presidentes e príncipes armarem uma cilada para Daniel fazendo o rei Dario assinar um decreto de que ninguém poderia adorar outro deus a não ser o imperador.  (Dn 6: 6-9)
Entretanto, Daniel se manteve íntegro e fiel, por uma simples razão:
“E Daniel propôs no seu coração não se contaminar com a porção das iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia.”(Daniel 1:8)
O problema de muitos que se envolvem com a política, não está no grau de corrupção ou degradação em que o ambiente se encontra, mas sim no comprometimento que eles têm com o seu Deus.
Caso contrário, não poderíamos ter cristãos autênticos como advogados, policiais, empresários, ou até mesmo contadores. Pois em todos os segmentos da sociedade existe o risco de nos corrompermos, depende unicamente da posição que tomamos.
- “Um vereador, deputado, prefeito ou até presidente cristão não vai fazer diferença nenhuma”
Será que José não fez diferença no Egito? A Bíblia diz: "Deus me enviou adiante de vós, para conservar vossa sucessão na terra para vos preservar a vida por um grande livramento." (Geneis 45.7)
O que dizer então da história de Israel? Quando o Rei temia ao Senhor todo o povo era abençoado, mas quando ele virava as costas para o Senhor, muitos se desviavam também.
Temos muito exemplos de servos de Deus que ocuparam importantes cargos de autoridade e literalmente mudaram a história. É claro que para influenciar a nossa geração não é necessário desempenhar um cargo político, o fato é que precisamos de homens de Deus em todos as esferas da sociedade, e a política não deve ser exceção.
- “O Senhor é quem remove os reis e os estabelece”.
Quanto a isso eu concordo plenamente, pois a própria Bíblia assim o afirma em Daniel 2:21. Sem dúvida nenhuma foi o Senhor que escolheu José para ser administrador no Egito
(Gn 45:7-8) e também Davi para ser rei de Israel (1 Sm 16:12), assim como muitos outros servos ao longo da história.
Usar este versículo para dizer que não precisamos fazer nada, pois Deus já decidiu quem vai governar, não faz o menor sentido. Deus procura pessoas que estejam dispostas a servi-lo e fazer a sua vontade aonde Ele o desejar. Seja cuidando de ovelhas, ou administrando um reino; tanto na prisão, como no palácio de Faraó.
Para reforçar o meu empenho em transformarmos nosso país em um mundo mais justo, onde reine a paz e a cumplicidades entre os homens, trago aqui algumas citações da bíblia sobre a maldita corrupção que desde os tempos de cristo já existia e que através de sua palavra nos ensina a combatê-la e a não nos deixar iludir.
 “O que anda em justiça, e o que fala com retidão, que arremessa para longe de si o ganho de opressões, e que sacode das suas mãos todo suborno, que tapa os seus ouvidos para não ouvir falar de sangue, e fecha os olhos para não ver o mal; este habitará nas alturas, e as fortalezas das rochas serão o seu alto refúgio. O seu pão lhe será dado, e as suas águas serão certas”. Isaías 33:15-16
“Chegaram também uns cobradores de impostos, para serem batizados, e lhe perguntaram: Mestre, que devemos fazer? Respondeu-lhes: Não peçais mais do que o que vos está ordenado”.   Lucas 3:12-13
“Não torcerás a justiça, nem farás acepção de pessoas. Não tomarás subornos, pois o suborno cega os olhos dos sábios, e perverte as palavras dos justos. Segue a justiça, e só a justiça, para que vivas e possuas a terra que o Senhor teu Deus te dá”.Deuteronômio 16:19-20
“Também suborno não aceitarás, pois o suborno cega os que têm vista, e perverte as palavras dos justos”. Êxodo 23:8
“O ímpio acerta o suborno em secreto, para perverter as veredas da justiça”.Provérbios 17:23
“Ai dos que...justificam o ímpio por suborno, e ao justo negam justiça”. Isaías 5:22a,23
“Até quando defendereis os injustos, e tomareis partido ao lado dos ímpios?
Defendei a causa do fraco e do órfão; protegei os direitos do pobre e do oprimido. Livrai o fraco e o necessitado; tirai-os das mãos dos ímpios. Eles nada sabem, e nada entendem. Andam em trevas”. Salmos 82:2-5a
“Os teus príncipes são rebeldes, companheiros de ladrões; cada um deles ama o suborno, e corre atrás de presentes. Não fazem justiça ao órfão, e não chega perante eles a causa das viúvas”.       Isaías 1:2
“Pela justiça o rei estabelece a terra, mas o amigo de subornos a transforma”. Provérbios 29:4
“Tira o ímpio da presença do rei, e o seu trono se firmará na justiça”. Provérbios 25:5
“Ai dos que decretam leis injustas, e dos escrivães que escrevem perversidades, para privar da justiça os pobres, e para arrebatar o direito dos aflitos do meu povo, despojando as viúvas, e roubando os órfãos! Mas que fareis no dia da visitação, e da assolação, que há de vir de longe? A quem recorrereis para obter socorro, e onde deixareis a vossa glória, sem que cada um se abata entre os presos, e caia entre os mortos?” Isaías 10:1-4
“No meio de ti aceitam-se subornos para se derramar sangue; recebes usura e lucros ilícitos, e usas de avareza com o teu próximo, oprimindo-o. E de mim te esqueceste, diz o Senhor Deus. Eu certamente baterei as mãos contra o lucro desonesto que ganhastes...” Ezequiel 22:12-13a
“Melhor é o pouco, com justiça, do que grandes rendas, com injustiça”. Provérbios 16:8
“O que oprime ao pobre para aumentar o seu lucro, ou o que dá ao rico, certamente Emprobecerá" Provérbios 22:16
 “Sendo o homem justo, e fazendo juízo e justiça (...) não oprimindo a ninguém, tornando ao devedor o seu penhor, não roubando, dando o seu pão ao faminto, e cobrindo ao nu com vestes; não dando o seu dinheiro à usura, não recebendo demais, desviando a sua mão da injustiça, e fazendo verdadeiro juízo entre homem e homem; andando nos meus estatutos, e guardando os meus juízos, para proceder segundo a verdade, o tal justo certamente viverá, diz o   Senhor Deus”. Ezequiel 18:5,7-9
“Não terás dois pesos na tua bolsa, um grande e um pequeno. Não terás duas medidas em tua casa, uma grande uma pequena. Terás somente pesos exatos e justos, e medidas exatas e justas, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá. Pois o Senhor teu Deus abomina todo aquele que pratica tal injustiça”. Deuteronômio 25:13-16
Imagine se nossos políticos tivessem a Bíblia como livro de cabeceira, em vez de "O Príncipe" de Maquiavel. Veriam que a corrupção não compensa.
Encerro este texto na esperança de que caminhemos juntos lutando contra a corrupção, sem nos omitir, vamos fazer valer as palavras do senhor.
 Mais antes!
 Só há uma coisa que a Bíblia ordena que o cristão deve literalmente fugir: da carne (1 Co 6:18), quanto ao mais, até mesmo o Diabo ela diz para resistirmos (Tg 4:7). Não podemos nos acovardar, temos de encarar de frente esta questão, se há muita sujeira no meio político, precisamos limpá-lo, se há trevas, precisamos ser luz. Pois, se nós não o fizermos quem o fará?
Que Deus nos abençoe nesta difícil tarefa!

Por: Marcio Martins
com Hermes Hernandes e webartigos.com

Conselho do Dia

Este é o conselho que a Imitação de Cristo nos dá para hoje:
Sê vigilante e diligente no serviço de Deus, e pergunta-te a miúdo: a que vieste, para que deixaste o mundo? Não será para viver por Deus e tornar-te homem espiritual? Trilha, pois, com fervor o caminho da perfeição, porque em breve receberás o prêmio dos teus trabalhos; nem te afligirão, daí por diante, temores nem dores. Agora, terás algum trabalho; mas depois acharás grande repouso e perpétua alegria. Se tu permaneceres fiel e diligente no seu serviço, Deus, sem dúvida, será fiel e generoso no prêmio. Conserva a firme esperança de alcançar a palma; não cries, porém segurança, para não caíres em tibieza ou presunção. ( Da diligente emenda de toda a nossa vida)

Certamente estas palavras se referem a alguma necessidade sua. 
Mas isso só você saberá entender.

Fonte: Imitação de Cristo

SANTO DO DIA - 30/01/2014

30/01
Santa Jacinta Marescotti
Muito interessante foi a vida de Jacinta Marescotti, pois foi uma Santa que se converteu no convento. Nasceu perto de Roma em 1585 numa nobre e religiosa família e seu nome era Clarice.

Quando menina Clarice a mandato dos pais ficou um tempo com religiosas franciscanas; a intenção deles sem dúvida era vida religiosa para a filha, assim como já vivia uma irmã de Clarice. Porém a jovem formosa, instruída estava muito preza as vaidades do mundo ao desejo de contrair matrimônio, por isso não só saiu do convento mas passou a experimentar todas as festas e encontros da alta sociedades. Diante da filha que fugia da vigilância e se entregava as distrações, os pais passaram a se preocupar com a salvação de sua alma, enquanto Deus com olhar de misericórdia se ocupava de salvá-la. Tendo sua irmã mais nova conseguido casar-se, Clarice se entregou a inveja e a frustação, até que resolveu ceder ao apelo dos pais quanto a vida religiosa. No convento a mocinha rica trocou o nome para Jacinta, mas não as vaidades, tanto que seu hábito era de seda e seu quarto decorado como de maneira luxuosa e principesca, causando assim um escândalo dentro e fora do convento. A vida espiritual de Jacinta era fria, suas práticas sem vida e amor; até que num momento de dor Deus conseguiu regatá-la, pois ela se abriu.

Aconteceu que seu rico pai acabou sendo assassinado, assim cairam por terra as seguranças terrenas; mais tarde uma doença levou Jacinta, não só as portas da morte, mas a consciência da sua falta de co-respondência ao Amor de Deus. Pediu um Padre para a confissão, o qual só entrou em seu quarto depois que ela mandou colocar para fora todo o luxo.

Reconciliada com o Senhor com trinta anos decidiu-se radicalmente pela santidade, ou seja, pagar com exagerado amor o amor exagerado amor de Deus. No concreto Jacinta mudou o hábito de seda por uma simples roupa, pediu perdão público, e se entregou de tal forma a santificação do Espírito Santo que pela vida de oração, pobreza e penitência chegou a ser exemplar e servir com mestra das noviças e depois superiora do convento, até que entrou no céu com cinquenta e cinco anos.
Sebastião Valfré
Sebastião Valfré nasceu em Verduno, no Piemonte, em 1629. De família pobre e numerosa, desde menino decidiu ser padre, e durante seus estudos sustentou-se copiando livros, não dando despesas ao pai. Sebastião foi aceito no Oratório de Turim e entrou para a congregação em 26-5-1651. Recebeu o sacerdócio um ano depois entregando-se sem reservas aos deveres sacerdotais.

O primeiro encargo foi o de "prefeito" do pequeno oratório, uma confraria de leigos que se encontravam para exercícios devocionais. Tinha uma extraordinária capacidade para fazer amizades. Em 1661, quando atingiu a idade então prescrita de 40 anos, foi nomeado mestre de noviços. Em seguida foi eleito superior contra seus sinceros protestos. Durante todo esse tempo foi sempre um confessor muito procurado. Também era dotado de dons extraordinários para aconselhamento e para advinhar os problemas de seus penitentes. Entre estes estava o duque Vitor Amadeu II, posteriormente rei da Sardenha. Este, com o consentimento do papa Alexandre VIII, em 1690, esforçou-se para fazer Sebastião aceitar o arcebispo de Tirim,mas sem resultado. Sebastião não quis aceitar de maneira alguma. No entanto, dedicava-se ao ministério sacerdotal da pregação, chegando a fazer 3 sermões por dia, de quase uma hora de duração. Realizou longas missões percorrendo o país e penetrando ocasionalmente na Suíça. Conseguiu muitas conversões. Seu temperamento era jovial, parecendo despreocupado e sem responsabilidade. Não deixava transparecer sua profunda oração e os problemas interiores. Morreu em 30-10-1710, aos 81 anos de idade.

LITURGIA DIÁRIA - 30/01/2014


Quinta-feira: 30/01/2014
Primeira Leitura: 2Sm 7,18-19.24-29

3ª Semana Tempo Comum 
(verde - ofício do dia)



Leitura do Segundo Livro de Samuel.

Depois que Natan falara a Davi, o rei entrou no tabernáculo 18foi assentar-se diante do Senhor, e disse: “Quem sou eu, Senhor Deus, que é a minha família, para que me tenhas conduzido até aqui? 19Mas, como isto te parecia pouco, Senhor Deus, ainda fizeste promessas à casa do teu servo para um futuro distante. Porque esta é a lei do homem, Senhor Deus! 24Estabeleceste o teu povo, Israel, para que ele seja para sempre o teu povo; e tu, Senhor, te tornaste o seu Deus. 25Agora, Senhor Deus, cumpre para sempre a promessa que fizeste a teu servo e à sua casa, e faze como disseste! 26Então o teu nome será exaltado para sempre, e dirão: “O Senhor Todo-poderoso é o Deus de Israel”. E a casa do teu servo Davi permanecerá estável na tua presença. 27Pois tu, Senhor Todo-poderoso, Deus de Israel, fizeste estas revelação ao teu servo: ‘Eu te construirei uma casa’. Por isso o teu servo se animou a dirigir-te esta oração. 28Agora, Senhor Deus, tu és Deus e tuas palavras são verdadeiras. Pois que fizeste esta bela promessa a teu servo, 29abençoa, então, a casa do teu servo, para que ela permaneça para sempre na tua presença. Porque és tu, Senhor Deus, que falaste, e é graças à tua bênção que a casa do teu servo será abençoada para sempre”.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.


Responsório (Sl 131)

— O Senhor vai dar-lhe o trono de seu pai, o rei Davi.
— O Senhor vai dar-lhe o trono de seu pai, o rei Davi.

— Recordai-vos, ó Senhor, do rei Davi e de quanto vos foi ele dedicado; do juramento que ao Senhor havia feito e de seu voto ao Poderoso de Jacó:
— “Não entrarei na minha tenda, minha casa, nem subirei à minha cama em que repouso, não deixarei adormecerem os meus olhos, nem cochilarem em descanso minhas pálpebras, até que eu ache um lugar para o senhor, uma casa para o forte de Jacó!”
— O Senhor fez a Davi um juramento, uma promessa que jamais renegará: “Um herdeiro que é fruto do teu ventre colocarei sobre o trono em teu lugar!
— Se teus filhos conservarem minha Aliança e os preceitos que lhes dei a conhecer, os filhos deles igualmente hão de sentar-se eternamente sobre o trono que te dei!”
— Pois o Senhor quis para si Jerusalém e a desejou para que fosse sua morada: “Eis o lugar do meu repouso para sempre, eu fico aqui: este é o lugar que preferi!”.


Evangelho (Mc 4,21-25)

— O Senhor esteja conosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, Jesus disse à multidão: 21 “Quem é que traz uma lâmpada para colocá-la debaixo de um caixote, ou debaixo da cama? Ao contrário, não a põe num candeeiro?22Assim, tudo o que está escondido deverá tornar-se manifesto, e tudo o que está em segredo deverá ser descoberto. 23Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça”. 24Jesus dizia ainda: “Prestai atenção no que ouvis: com a mesma medida com que medirdes, também vós sereis medidos; e vos será dado ainda mais. 25Ao que tem alguma coisa, será dado ainda mais. Do que não tem, será tirado até mesmo o que ele tem”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

O Evangelho do Dia - 30/01/2014

Ano A - DIA 30/01

Jesus é a Lampada que ilumina - Mc 4,21-25

Jesus dizia-lhes: “Será que a lâmpada vem para ficar debaixo de uma caixa ou debaixo da cama? Pelo contrário, não é ela posta no candelabro? De fato, nada há de escondido que não venha a ser descoberto; e nada acontece em segredo que não venha a se tornar público. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!” Jesus dizia-lhes: “Considerai bem o que ouvis! A medida que usardes para os outros, servirá também para vós, e vos será acrescentado ainda mais. A quem tem, será dado; e a quem não tem, será tirado até o que tem”.


Leitura Orante

Oração Inicial


Preparo-me para a leitura Orante, rezando com todos que na rede fazem
este momento de oração:
Creio, meu Deus, que estou diante de ti.
Que me vês e escutas as minhas orações.
Tu és tão grande e tão santo: eu te adoro.
Tu me deste tudo: eu te agradeço.
Foste tão ofendido por mim:
eu te peço perdão de todo o coração.
Tu és tão misericordioso: eu te peço todas as graças
que sabes serem necessárias para mim.
Ó Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tem piedade de nós.

1- Leitura (Verdade)


- O que a Palavra diz? 
Invoco a Santíssima Trindade com breve oração:
Trindade Santíssima - Pai, Filho, Espírito Santo - 
presente e agindo na Igreja e na profundidade do meu ser, 
eu vos adoro, amo e agradeço. 
Leio atentamente o texto da Palavra do dia, na Bíblia: Mc 4,21-25.
Neste texto aparecem os verbos: "acender", "iluminar", "conhecer", "julgar", "ter", "receber". São relacionados à lâmpada. A Palavra de Deus, é uma lâmpada que, antes de iluminar o caminho por onde vamos, ilumina-nos por dentro, ilumina a nossa consciência para que possamos conhecer, discernir a vontade de Deus. Nossa missão na Igreja é de ser luz. Como dizem os bispos, em Aparecida: " Os fiéis leigos são "os cristãos que estão incorporados a Cristo pelo batismo, que formam o povo de Deus e participam das funções de Cristo: sacerdote, profeta e rei. Eles realizam, segundo sua condição, a missão de todo o povo cristão na Igreja e no mundo". São "homens da Igreja no coração do mundo, e homens do mundo no coração da Igreja" (DAp 209).

2- Meditação (Caminho)


O que a Palavra diz para mim?
Atualizo a Palavra, ligando-a à minha vida. Também nós somos luz. Somos filhos da luz, comunicadores da luz de Deus e agimos agora em colaboração com Deus para levar esta mesma luz a outros. O bem-aventurado Alberione entendeu muito bem esta missão, quando em oração diante do Santíssimo Sacramento, ouviu: "Daqui quero iluminar. Eu estou com vocês". Na Eucaristia está a nossa fonte de luz. Noutro momento, Alberione, ouviu: "Dou-lhes a minha luz. E me servirei de vocês para iluminar".

3- Oração (Vida)


O que a Palavra me leva a dizer a Deus?
Em sintonia com o coração de Jesus, rezo:
Jesus é luz, brilhante luz do céu.
Jesus é paz, inquieta e doce paz de Deus.
Jesus é Deus. Quem vê a vida iluminado pela luz que é Jesus,
não anda em trevas, tropeça menos, também se torna luz. 
Por isso eu pus a minha luz na luz imensa de Jesus.
Por isso eu pus a minha paz na paz imensa de Jesus,
e depois disso eu já não temerei, não temerei
não temerei a escuridão, a escuridão. Jesus é minha luz. 
(Pe. Zezinho, CD Canções que a fé escreveu, COMEP Paulinas).

4- Contemplação (Vida e Missão)


Qual o novo olhar que a Palavra despertou em mim? 
Cristo diz: "Eu sou a luz do mundo"( Jo 8,12) e 
"Vocês são a luz do mundo". (Mt 5,14). Passarei o dia vendo com a luz de Deus, as pessoas, a família, o trabalho, os estudos, todas situações, o mundo, e sobretudo as pessoas com as quais você se relaciona mais de perto.Quero ser "pessoa da Igreja no coração do mundo, e pessoa do mundo no coração da Igreja"

Bênção


- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém. 
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém. 
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém. 
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém. 


Ir. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br


Fonte: http://www.paulinas.org.br/diafeliz/?system=evangelho&action=busca_result&data=30%2F01%2F2014 

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Conselho do Dia

Este é o conselho que a Imitação de Cristo nos dá para hoje:
Toda a perfeição, nesta vida, é mesclada de alguma imperfeição, e todas as nossas luzes são misturadas de sombras. O humilde conhecimento de ti mesmo é caminho mais certo para Deus que as profundas pesquisas da ciência. Não é reprovável a ciência ou qualquer outro conhecimento das coisas, pois é boa em si e ordenada por Deus; sempre, porém, devemos preferir-lhe a boa consciência e a vida virtuosa. Muitos, porém, estudam mais para saber, que para bem viver; por isso erram a miúdo e pouco ou nenhum fruto colhem.(Dos ensinamentos da verdade).

Certamente estas palavras se referem a alguma necessidade sua. 
Mas isso só você saberá entender.

Fonte: Imitação de Cristo

SANTO DO DIA - 29/01/2014

29/01
S. Pedro Nolasco
No século XII o Espírito Santo, ocupado em redimir o presente, suscitou um cristão de rica família francesa que, desde criança, cultivava um grande amor aos pobres: São Pedro Nolasco. No seu tempo as lutas políticas e invasões dos povos árabes muito influenciavam na vida dos cristãos, tanto que uns eram obrigados a seguir deuses, outros impedidos de viver o Cristianismo e, a maioria era presa e feita escrava.

Com a morte do pai e, já terminado seus estudos humanísticos, Pedro foi para a Espanha, onde encontrou sofrimentos físicos e morais nas regiões invadidas, tanto assim que, compadecido, aplicou toda sua fortuna no resgate de cerca de trezentos cristãos. Nesta ação, mais do que um ato de caridade estava o desabrochar da nova Ordem, com a missão de conquistar a redenção dos cativos. Esta inspiração Pedro colheu do coração do Cristo crucificado.

Emitido os três votos: castidade, obediência e pobreza; em companhia, aprovado pelo rei e abençoado pelo Papa, o nome oficial foi: Ordem da Virgem Santíssima das Mercês para a Redenção dos Escravos. São Pedro Nolasco entrou no Céu em 1256, mas antes teve a alegria, mesmo à base de sofrimento, de juntamente com os mercedários, conseguir a libertação de milhares de cristãos.

São Pedro Nolasco, rogai por nós!
Sulpício Severo
Na diocese de Bourges, há dois bispos considerados santos, com o mesmo nome: Sulpício Severo e Sulpício, o piedoso, em ordem cronológica. Sulpício Severo pertencia à nobreza da Aquitânia e ocupava uma alta posição na corte do rei Gontrano, quando morreu Remígio, bispo de Bourges. Naquele momento a cidade estava numa situação calamitosa por causa de um incêndio que a tinha devastado. Gontrano impôs aos habitantes a escolha ou eleição de Sulpício Severo para bispo, pois confiava nele e nas suas qualidades de administrador para o restabelecimento da ordem. Foi logo ordenado padre e abandonou os seus altos encargos civis. É provável que não fosse casado, ao contrário de muitos de seus contemporâneos, que tinham de deixar a família quando sagrados bispos. Feito bispo, dedicou-se totalmente à Igreja, e seu episcopado teve início por volta de 584, durando até a data de sua morte, em 591.

Os bispos galos romanos eram a única força que podia se opor aos reis e eram prestigiados por todos. Por isso, a atividade de Sulpício Severo foi muitas vezes política também, porque só assim se explica o título que lhe é atribuído de "defensor da cidade". Era muito firme, prudente e vigoroso também nos negócios temporais. Várias vezes teve de resistir aos reis, principalmente por questões de elevações de impostos, e parece que sempre foi atendido por eles que voltaram atrás nas suas intenções. Certamente o seu prestígio pessoal era muito grande.

Historicamente está comprovada a sua presença, pela sua assinatura, em vários sínodos realizados na região. Era também bom orador e tinha veia poética, mas não temos registros de suas obras.

Não deve ser confundido com um escritor homônimo, que não é santo. Seu maior apologista foi S. Gregório de Tours, seu contemporâneo no episcopado e interlocutor epistolar.