sábado, 15 de fevereiro de 2014

O Evangelho do Dia - 15/02/2014

Ano A - DIA 15/02

O banquete dos pobres - Mc 8,1-10

Naqueles dias, novamente se juntou uma grande multidão e não tinham o que comer. Jesus chamou os discípulos e disse: “Sinto compaixão desta multidão! Já faz três dias que estão comigo e não têm o que comer. [...]”. Os discípulos responderam: “De onde conseguir, aqui em lugar deserto, pão para saciar tanta gente?” Ele perguntou-lhes: “Quantos pães tendes?” Eles responderam: “Sete”. Jesus mandou que a multidão se sentasse no chão. Depois, pegou-os sete pães, deu graças, partiu-os e deu aos discípulos para que os distribuíssem. E distribuíram à multidão. Tinham também alguns peixinhos. Jesus os abençoou e mandou distribuí-los. Comeram e ficaram saciados [...].


Leitura Orante

Oração Inicial


Preparo-me para a leitura Orante do texto de hoje, rezando:
Vinde, Espírito Santo,
e dai-me o dom da sabedoria,
para que possa avaliar todas
as coisas à luz do Evangelho

1- Leitura (Verdade)


- O que a Palavra diz?
Leio do texto em Mc 8,1-10. 
A multiplicação dos pães e peixes é narrada pelos quatro evangelistas.
As narrativas mostram Jesus compadecido, ou seja,
comovido com a multidão que era como ovelhas sem pastor.
Jesus manda o povo se sentar. Abençoou 
e partiu os pães e os repartiu aos discípulos, 
para que estes os distribuíssem ao povo. 
Era o "banquete dos pobres" não só porque todos comeram e ficaram saciados, 
mas porque todos partilharam o que traziam em suas mochilas, como fez o menino. 
O maior milagre é abrir as mãos e fazer a comunhão fraterna. 
Jesus provocou a partilha, soube organizar e dividir com igualdade. 

2- Meditação (Caminho)


- O que a Palavra diz para mim?
O que este evangelho me diz? 
Em primeiro lugar, que Jesus se preocupa e «sente compaixão» do homem todo:corpo e alma. 
Jesus não estalou os dedos para que aparecesse, como mágica, pão e peixe para todos. 
Ele perguntou o que eles tinham; convidou a partilhar o pouco que tinham: 7 pães e alguns peixinhos.
Hoje, Ele faz a mesma coisa. A humanidade seria capaz de dar de comer a mais de bilhões de pessoas que passam fome. Não podemos acusar Deus de não dar pão suficiente para todos, quando cada dia destruímos milhões de toneladas de alimentos que chamamos de «excedentes». 
A fome não exisitiria se houvesse melhor distribuição, maior solidariedade e capacidade para partilhar.
Eu, você, nós somos agora o menino anônimo do Evangelho que temos muito bem guardados o sete pães e alguns peixinhos que podem ser distribuídos a todos.
Afinal, o que estamos fazendo neste momento, pela internet, é uma multiplicação dos pães: o pão da palavra de Deus. 

3- Oração (Vida)


- O que a Palavra me leva a dizer a Deus?
A Palavra leva você a orar com Madre Teresa de Calcutá:
Senhor, dai-me alguém para amar.
Senhor, quando eu tiver fome, 
dai-me alguém que necessita de comida; 
quando tiver sede, dai-me alguém que precise de água; 
quando tiver frio, dai-me alguém que necessite de calor. 
Quando tiver um aborrecimento, dai-me alguém que necessite de consolo; 
quando minha cruz parecer pesada, dai-me compartilhar a cruz do outro; 
quando me achar pobre, ponde a meu lado alguém necessitado. 
(...) Tornai-nos dignos, Senhor, de servir nossos irmãos que 
vivem e morrem pobres e com fome no mundo de hoje. 
Dai-lhes, através de nossas mãos, o pão de cada dia, 
e dai-lhes, graças ao nosso amor compassivo, a paz e a alegria.

4- Contemplação (Vida e Missão)


- Qual o meu novo olhar a partir da Palavra? 
Acabo de partilhar o pão da Palavra que a internet multiplicou. 
Resta-me uma tarefa: recolher «os pedaços que sobraram», e fazer a Palavra chegar também a quem não participou do banquete. Como discípulo/a e missionário/a parto agora para a bela tarefa de comunicar a mensagem, 
sugerindo esta reflexão a alguém próximo ou distante.

Bênção


- Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
- Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
- Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
- Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.


Ir. Patrícia Silva, fsp
patricia.silva@paulinas.com.br