terça-feira, 11 de julho de 2017

SÁBADO – DIA DEDICADO A NOSSA SENHORA



ORIGEM HISTÓRICA DO SÁBADO, DIA DE NOSSA SENHORA

“Um dos costumes mais antigos traçados para honrar Maria no sábado, na Igreja de Roma teve lugar no sábado antes” do Domingo de Pentecostes. Os membros recém-batizados da Igreja foram levados do batistério de São João de Latrão ao grande santuário de Maria, a Basílica de Santa Maria Maior [construída pelo Papa Libério 352-66].

São João Damasceno “(† 754) em seus escritos testemunha a celebração do sábado dedicado a Maria na Igreja do Oriente. Os livros litúrgicos dos séculos IX e X contêm missas em honra de Maria no sábado.

O sábado adquiriu grande Tom Mariano e o e rapidamente tornou-se associado com Maria. Hoje, o traço mais forte da relação de Maria com o sábado ocorre na Liturgia. O sábado é dedicado a Maria por uma Missa ou o Ofício da Bem-Aventurada Virgem Maria. Através destes atos litúrgicos, os cristãos exaltam a pessoa de Maria na ação que renova o sacrifício de Cristo e na ação que prolonga a sua oração.

Esta atribuição litúrgica do sábado a Maria foi em grande parte o trabalho de Alcuin (735-804), o monge beneditino que foi “Ministro da Educação” na corte de Carlos Magno e que contribuiu de forma decisiva para a reforma litúrgica carolíngia.

Alcuin compôs seis formulários para Missa votiva (ou seja, devocionais) – uma para cada dia da semana. E ele designou dois formulários para o sábado, em honra de Nossa Senhora. A prática foi rapidamente e alegremente abraçada por ambos os clérigos e leigos. …

O costume de dedicar Missas no Sábado a Maria foi fomentado especialmente nas igrejas do claustro das várias ordens, e rapidamente se espalhou por toda a Igreja.


Os grandes teólogos dos séculos XII e XIII, São Bernardo, São Tomás, e São Bonaventura explicavam a dedicação dos sábados a Maria, apontando para o tempo do descanso de Cristo no túmulo. Todos os outros tinham abandonado Cristo; só Maria continuou a acreditar. Este foi o seu dia!

Nos séculos seguintes,os sábados dedicados a Maria foram expressas em várias devoções. Este foi o dia selecionado pelos fiéis para ir em peregrinação. Confrarias realizavam suas reuniões aos sábados e as chamavam Fraternidade dos sábados ou Confraria dos sábados. As sete dores de Maria foram comemorados em sete sábados consecutivos. Os quinze sábados antes da liturgia em honra de Maria como Rainha do Rosário [07 de outubro] recordavam as quinze dezenas do rosário. Em algumas áreas, este foi o dia em que as culturas e colheitas foram abençoadas e celebrada.
A devoção crescente em honra da Imaculada Conceição estimulada pelos Franciscanos contribuiu para promover os Sábados em honra da Virgem Maria. Em 1633, um Capítulo da Ordem determinou que a Santa Missa em honra deste mistério era para ser comemorada aos sábados.
Os franciscanos estimularam também a recitção do Ofício da Imaculada Conceição, escrito pelo Frei Bernardino de Bustis, no século XV, e ainda hoje recitado aos sábados por muitos católicos.

Com o tempo, tornou-se habitual para os católicos em todos os lugares considerar o sábado dia de Maria, assim como o domingo é o dia do Senhor. Muitos fiéis comemoravam o dia assistindo à Missa, recebendo a Eucaristia, e rezando o terço em família ou assistindo a uma noite de devoção na Igreja, bem como realizando obras de caridade ao próximo de muitas formas.

AS DEVOÇÕES A NOSSA SENHORA NO SÁBADO:


OFÍCIO DA BEM-AVENTURADA VIRGEM MARIA OU COMUM DE NOSSA SENHORA:
É a Liturgia opcional de devoção a Maria rezada pelos padres, monges e freiras. Recitam-se Salmos, leituras, hinos e orações para honrar Maria Mãe de Jesus.

DEVOÇÃO REPARADORA DOS PRIMEIROS SÁBADOS:
Por fim, a 13 de Junho de 1912, São Pio X concedeu novas indulgências a práticas que parece anteciparem exatamente os pedidos de Pontevedra: “Para promover a devoção dos fiéis para com a Imaculada Virgem Maria, Mãe de Deus, e para fazer reparação pelos ultrajes dos homens ímpios ao Seu Santíssimo Nome e aos Seus privilégios, São Pio X concedeu ao primeiro sábado de cada mês uma indulgência plenária, aplicável às almas do purgatório.

As condições são: confissão, comunhão, oração pelas intenções do Soberano Pontífice e exercícios piedosos com o espírito de reparação, em honra da Virgem Imaculada”.
Exatamente cinco anos depois deste dia 13 de Junho de 1912, aconteceu em Fátima a grande manifestação do Imaculado Coração de Maria, “cercado de espinhos que O pareciam cravar”. A Irmã Lúcia disse depois: “Nós compreendemos que era o Imaculado Coração de Maria, ultrajado pelos pecados da humanidade, que exigia reparação”.

A 13 de Novembro de 1920, o Papa Bento XV concedeu novas indulgências a esta mesma prática, quando realizada no primeiro sábado de oito meses seguidos. Nossa Senhora, em sua aparição em Fátima, havia pedido para a Irmã Lúcia a devoção reparadora dos cinco sábados ( assistir Missa, comungar e rezar o terço em reparação dos pecados cometidos contra seu Imaculado Coração – as blasfêmias e agressões dos homens ingratos e ateus).


PRÁTICAS DEVOCIONAIS REALIZADAS NOS SÁBADOS EM HONRA DE NOSSA SENHORA:

OFÍCIO DA IMACULADA CONCEIÇÃO:
O Ofício é uma oração composta para ser cantada ou recitada (de uma só vez ou seguindo a Liturgia das Horas), a fim de proclamar os louvores da Mãe de Deus e defender a fé da Igreja na Imaculada Conceição da Virgem Maria.
Na reforma do Concílio Vaticano II, o Papa Paulo VI modificou a doutrina acerca das indulgências e concedeu indulgência parcial a aqueles que rezarem com fé o Ofício da Imaculada Conceição.

ROSÁRIO OU TERÇO:
O Santo Rosário é uma prática religiosa de devoção mariana muito difundida entre os católicos romanos, que o rezam tanto pública quanto individualmente. Consiste na recitação seriada de orações com o auxílio de uma corrente com contas ou nós, que recebe o mesmo nome. O rosário também compreende a contemplação de determinadas passagens da vida de Jesus e de sua mãe Maria que, segundo a doutrina da Igreja Católica, são de especial relevância para a história da salvação e que recebem o nome de “mistérios”. Terço é uma pequena parte (5 mistérios) do rosário.

Oremos: Suplica a Augusta Rainha
Augusta Rainha dos céus, soberana mestra dos Anjos,
Vós que, desde o princípio, recebestes de Deus
o poder e a missão de esmagar a cabeça de Satanás,
Nós vo-lo pedimos humildemente,
Enviai vossas legiões celestes para que,
sob vossas ordens, e por vosso poder,
Elas persigam os demônios, combatendo-os por toda a parte,
Reprimindo-lhes a insolência, e lançando-os no abismo.
Quem é como Deus?
Ó Mãe de bondade e ternura,
Vós sereis sempre o nosso Amor e a nossa esperança.
Ó Mãe Divina,
Enviai os Santos Anjos para nos defenderem,
E repeli para longe de nós o cruel inimigo.
Santos Anjos e Arcanjos,
Defendei-nos e guardai-nos. Amém.

Equipe Padre Rodrigo Maria