quarta-feira, 19 de julho de 2017

3 mitos acerca dos Católicos Tradicionalistas

Dom Bernard Fellay, Superior Geral da FSSPX. Imagem: damselofthefaith.

Salve Maria!

Esta postagem têm o objetivo de esclarecer alguns dos principais pontos acerca dos católicos cognominados “tradicionalistas”, e eu faço esta ressalva pelo fato de que todo católico é tradicionalista desde que tem a obrigação de ser fiel à Tradição da S. Igreja, e que os que são chamados deste termo não são nada mais que católicos, afinal, nada do que acreditam e praticam são invenções suas, mas provêm da Santa Igreja. A seguir, confira 3 mitos acerca dos católicos tradicionalistas.

1. Os tradicionalistas são sedevacantistas.

Um dos principais erros que é cometido por aqueles que atacam os tradicionalistas é exatamente achar que estes são sedevacantistas, ou seja, que crêem que a cátedra de São Pedro está vazia e que em Roma reina um antipapa. Não!

Em 1962, Dom Marcel Lefebvre em audiência com o Papa João XXIII. Imagem: archives.sspx.com

Os sedevacantistas são uma minoria de católicos que crêem que, comumente, desde a morte do Papa Pio XII, em 1958, não há mais Papa na Igreja Católica (interregno), assim procedem por crerem que a eleição de Roncalli (Papa João XXIII) foi inválida, porque este sendo um herege notório não estava apto à participar do conclave papal e, portanto, não poderia ser eleito papa. Obviamente esta é uma posição errônea que por hora não será aprofundada neste artigo, mas em um próximo.

Os católicos tradicionalistas, pelo contrário, crêem que os papas que sucederam o Papa Pio XII foram papas legítimos, ainda que isto não signifique que foram bons papas (isto vale para o Papa atual, Francisco).

2. Os tradicionalistas crêem que o Novus Ordo Missæ (Missa Nova) é inválido.

Eis outro mito que é disseminado no mundo católico moderno e que não passa, como já disse, de um mito.

O Novus Ordo Missæ foi promulgado pelo Papa Paulo VI em 1969, sendo elaborado pelo Cardeal Aniballe Bugnini (suspeito de pertencer à Maçonaria) com a ajuda de uma comissão formada por seis pastores hereges protestantes, os Dr Georges, Côn. Jasper, Dr.Sephard, Dr. Konneth, Dr. Smith, Fr. Max Thurian. Apesar deste rito ter sido revisado várias vezes, criticado por dois Cardeais (Bacci e Ottaviane), ser muito similar à liturgia luterana e ser chamado de uma “fabricação banal” por Bento XVI, ele contêm a fórmula da consagração da Missa Católica que o torna válido, porém ilícito, por conter uma lex orandi (lei da oração) distante da lex orandi que a Igreja Católica sempre teve e ter uma teologia distante da teologia da Missa Católica definida infalivelmente pelo Concílio de Trento no século XVI, ( quem disse isso foram os Cardeais Bacci e Ottaviane).

No dia 10 de abril de 1970, Paulo VI recebeu a comissão que elaborava o novo “Ordo Missae”, composta pelos pastores protestantes. A fotografia foi publicada na Revista “Notitiae”, da Sagrada Congregação para o Culto Divino, nº 54, maio de 1970. Imagem: tradicoescatolicas

Ou seja, os católicos tradicionalistas jamais negaram a validade do rito de Paulo VI, mas somente dizem que ele não é um rito 100% católico, por não ser inequívoco e por levar os fiéis a rezarem como protestantes.

3. Os Tradicionalistas cumprem o preceito dominical rezando o Rosário ou assistindo a Missa Tridentina pela internet.

Dom Marcel Lefebvre, fundador da FSSPX, celebrando a Missa no Rito Romano de sempre. 

Muitos dos que atacam aos tradicionalistas pensam que estes, por não assistirem a Missa no Rito de Paulo VI, mas somente o Rito codificado por São Pio V (Missal Romano de sempre), não tendo este último disponível para assistirem em suas regiões, cumprem preceito dominical rezando o Rosário ou assistindo vídeos de Missa Tridentina. Absolutamente não!

Recitação do Rosário. Imagem: archives.sspx.com


Para cumprir o preceito de assistir Missa aos domingos deve-se ter a Missa Católica, na falta desta, o preceito é dispensado por razões óbvias: não ter Missa! Porém, o fato de não haver Missa não impede que os católicos tradicionalistas cumpram o segundo mandamento que é o de santificar os domingos e festas, e isso faz-se rezando, não trabalhando (se possível) e não pecando. O Rosário é evocado de um modo particular pela razão deste ser, depois da Santa Missa, a melhor das orações (segundo a Santa Igreja), também porque ele está carregado de indulgências, foi indicado pelo decorrer de sua existência por dezenas de Papas, e por fim, por ser a oração que foi pedida pela Santíssima Virgem em Fátima como uma poderosa oração para alcançar o Céu.

No que tange à assistência da Missa Tridentina através de vídeos, ela não cumpre preceito dominical pelo fato do fiel não estar presente no local em que a Missa está sendo celebrada, ainda que não seja condenável tal prática, nenhum tradicionalista faz uso deste meio para cumprir o preceito dominical, isso é tão somente um dos vários mitos que muitos católicos modernos têm acerca dos católicos tradicionalistas.

Fonte: https://fieiscatolicosromanos.blogspot.com.br/2017/07/3-mitos-acerca-dos-catolicos.html?_e_pi_=7%2CPAGE_ID10%2C4800575724&m=1