quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

JESUS E O EXEMPLO DE MARIA SANTÍSSIMA



O que Jesus quis dizer quando afirmou que ‘Maria escolheu a melhor parte’?

Vamos ao texto bíblico de Lucas 10:38-42: ‘Indo eles de caminho, entrou Jesus num povoado. E certa mulher, chamada Marta, hospedou-o na sua casa. Tinha ela uma irmã, chamada Maria, e esta que dava-se assentada aos pés do Senhor a ouvir-lhe os ensinamentos. Marta agitava-se de um lado para outro, ocupada em muitos serviços. Então, se aproximou de Jesus e disse: Senhor, não te importas de que minha irmã tenha deixado que eu fique a servir sozinha’ Ordena-lhe, pois, que venha ajudar-me.

Respondeu-lhe o Senhor: Marta! Marta! Andas inquieta e te preocupas com muitas coisas. Entretanto, pouco é necessário ou mesmo uma só coisa; Maria, pois, escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada’. “Ao Jesus falar que Maria escolheu a melhor parte, Ele estava se referindo a Ele mesmo, pois estar envolvido com o Senhor é melhor do que dedicar tempo somente aos afazeres diários”.


Jesus é a fonte da água viva!

Jesus é a água viva, quem d’Ele bebe jamais terá sede! Jesus nos sacia dessa sede de eternidade que nós temos e preenche os vazios da nossa alma e do nosso coração.

”Todo aquele que bebe desta água terá sede de novo. Mas quem beber da água que eu lhe darei, esse nunca mais terá sede. E a água que eu lhe der se tornará nele uma fonte de água que jorra para a vida eterna” (João 4, 13-14).

Jesus e Maria Santíssima nas Bodas de Caná (Jo 2,1-12).

Maria Santíssima como Mãe naquela festa de casamento sabia onde estava a melhor parte, por isso ela recorreu a Jesus para saciar a sede, e o socorro daquele casal, apesar de ainda não ter chegado à hora, mas Jesus atendeu a sua suplica intercessora,  E tendo acabado o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Eles não têm vinho. Pois ao fazer chegar até Jesus à problemática da falta de vinho, Maria se apresenta como aquela que, conhecendo as necessidades da humanidade, pede ajuda para Jesus. Aqui está simbolizado o papel de intercessora atribuído a Maria.

A primeira reação de Jesus ao afirmar “Mulher, que tenho eu contigo” (ou, que importa a mim e a ti), parece ser um tanto ríspida com relação a Maria, mas serve para ilustrar o deslocamento de perspectiva: que Jesus chama os seus interlocutores (na pessoa de Maria) para perceber um outro nível de sua presença.

A palavra “mulher” pode representar três idéias:

Pode lembrar Gn 3, referindo a Eva-Mulher que trouxe o pecado ao mundo. Assim Maria, a nova Mulher trouxe a salvação, Jesus;
Maria, Mulher, pode representar todo o povo de Israel (Filha de Sião);

Pode traduzir todo o reconhecimento da figura feminina na comunidade de João pelo papel evangelizador que as mulheres desempenhavam no testemunho do Evangelho.

Depois de realizar o milagre da transformação da água em vinho, o relato tem um desfecho muito significativo. E é para lá que apontava João: Assim deu Jesus início aos seus sinais em Caná da Galiléia, e manifestou a sua glória; e os seus discípulos creram nele.( v11). Com isso, o autor acentua a centralidade do relato: mostrar quem é Jesus (aquele que traz o vinho novo, a Nova Aliança, o Novo Pacto, a alegria, a plenitude, a graça, a salvação) e a fé dos discípulos que aderem ao projeto do Filho de Deus. E todo o projeto do Reino de Deus é simbolizado através da figura das Bodas, o grande Banquete, as Núpcias do Cordeiro, a grande Festa da plena e definitiva alegria. Jesus é o novo NOIVO.

Maria-mulher é aquela que leva os discípulos a crerem em Jesus. Incentiva os filhos a fazerem a vontade do seu Filho.

Ela é o exemplo vivo do discípulo e seguidor de Jesus, que acolhe a Palavra de Deus com fé, guarda e medita em seu coração e põe em prática, produzindo muitos e bons frutos.

Maria é apresentada como a grande peregrina na fé. O “SIM” dado a Deus na sua juventude é renovado constantemente no decorrer de toda a sua vida.

Maria não nasce como uma santa pronta e acabada. Ela passa por crises e situações difíceis e desafiadoras contribuindo para o seu crescimento na fé.

Por outro lado, Maria nos lembra que Deus escolhe preferencialmente os pobres e os pequenos para iniciar seu Reino. Maria é uma pessoa de coração pobre todo aberto para Deus; tem um coração solidário e serviçal sempre disponível a ajudar os mais necessitados com sua doçura Maternal que nos ouve, nos consola e nos leva para saciamos da melhor parte, ao qual jamais teremos mais sede.

Ela não se apresenta nesta imagem em destaque, mas à observamos lá no fundo, por trás e a direita de  seu Filho Jesus, pois Ela na condição de humilde serva, quando Ela disse: Eis a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra» [Lc 1, 38], e ao seu exemplo possamos atender os desejos do seu coração: "É necessário que ele cresça e que eu diminua. João 3:30".