sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Mistérios Dolorosos


Primeiro Mistério: Agonia de Jesus no Horto das Oliveiras
Os sofrimentos morais de Jesus.

Livro III, Cap. L.

Pai justo e sempre digno de louvor, é chegada a hora em que vosso servo será provado.

Pai sempre adorável, chegou a hora que, desde a eternidade, previstes que havia de vir, na qual o vosso servo, por um pouco de tempo, sucumba exteriormente, sem deixar de, interiormente, viver unido a vós.

Seja ele por um pouco de tempo desprezado, humilhado, abatido aos olhos dos homens... para que ressuscite convosco, na aurora da nova luz e seja glorificado no céu.

Pai santo, assim determinastes e quisestes, fez-se o que ordenastes.



Segundo Mistério: Flagelação de Jesus.A paciência nos sofrimentos.

L:ivro III,Cap. XIX.

Filho, que é que dizes? Deixa-te de queixas, considerando a minha paixão...

Ainda não resististe até o derramar sangue. Pouco é o que padeces em comparação de outros, que sofreram tanto...

É bom que te lembres dos graves sofrimentos alheios, para que, mais facilmente, possas com os teus, que sã mínimos.

E se não parecem leves, olha não venha isto da tua impaciência.

Sejam, porém, grandes ou pequenos, procura levá-los com paciência.

O verdadeiro sofredor não atenta para o homem que o maltrata; se é seu superior, igual ou inferior; se é bom e santo varão, ou indigno e perverso.

Aparelha-te, pois, para a peleja, se queres alcançar a vitória.



Terceiro Mistério: Coroação de Espinhos de Jesus.Convite à mortificação e à humildade.

Livro III, Cap.XLIII.

Filho, aplica-te à mortificação das tuas paixões, porque isto te aproveitará mais que o conhecimento das questões mais difíceis.

Sou eu Quem ensina aos homens a ciência.

Eu ensino sem rumor de palavras, sem confusão de opiniões, sem vaidades...

Sou eu quem ensina a desprezar as coisas terrenas, aborrecer os bens presentes, buscar e saborear as coisas eternas, fugir das honras, sofrer as adversidades, colocar em mim toda esperança, nada desejar fora de mim e amar-me, ardentemente acima de tudo.



Quarto Mistério: Jesus Carregando a Cruz ao Calvário.
O amor à Cruz.

Livro II, Cap. XII.

A muitos parece dura esta palavra: Renuncia a ti mesmo, toma a tua cruz e segue a Jesus. Muito mais duro, porém, será ouvir aquela última sentença: “Afastai-vos de mim, malditos para o fogo eterno.”

Aqueles que agora, de boa vontade, ouvem e seguem a palavra da Cruz, não temerão ouvir sentença da condenação eterna.

Por que temes, pois, tomar a cruz, pela qual se vai ao reino?

Não há outro caminho para a vida e para a verdadeira paz, senão a via da santa cruz e da mortificação quotidiana.

Anda por onde quiseres, procura quanto quiseres e não encontrarás caminho mais sublime acima do caminho da santa cruz, nem mais seguro abaixo dele.

Se, de boa vontade, levares a cruz, ela te conduzirá e guiará ao reino almejado, isto é, onde acabam os sofrimentos não, porém, neste mundo.

Se, de má vontade a levas, aumentar-lhe-ás o peso e te sobrecarregarás mais, pois é forçoso que a suportes.



Quinto mistério: Crucifixão e morte de Jesus.
As grandezas da Cruz

Livro II cap. XII

O sinal da Cruz aparecerá no céu, quando o Senhor vier para julgar.

Na Cruz está a salvação, na Cruz a vida, na Cruz a proteção contra os inimigos.

Na Cruz está o complemento da virtude, a perfeição da santidade; não salvação para a alma, nem esperança de vida eterna, senão na Cruz.

Eis que tudo se encerra na cruz e em morrer nela.

Toma, pois, a tua cruz, segue a Jesus e caminharás pra a vida eterna.

Ele foi adiante de ti, carregando sua cruz e nela morreu por teu amor, para que tu também leves a tua e nela desejes morrer.

Porque se com ele morres, do mesmo modo viverás com ele; se fores seu companheiro no sofrimento, também o serás na glória.