segunda-feira, 1 de setembro de 2014

SANTO DO DIA - 01/09/2014

01/09
Santa Beatriz da Silva Menezes
Beatriz nasceu em 1424 em Ceuta, uma cidade que pertencia ao reino de Portugal, situada no norte da África, Marrocos. Sua família era da nobreza portuguesa, seu pai Rui Gomes da Silva era um ilustre comandante do exercito, sua mãe chamava-se Isabel de Menezes e freqüentava várias cortes. Ainda na infância, voltou com a família para Portugal. Ao completar vinte anos de idade, Beatriz foi para a corte da Espanha, pois sua tia Isabel, Infanta de Portugal, que se casara com o rei de Castela, convidou a sobrinha para ser sua primeira dama de honra. Muito virtuosa e piedosa, achava que a vida do palácio não era muito compatível com seu jeito de ser e pensar, mas aceitou a nova função. E foi aí que sua provação iniciou.

Beatriz era uma jovem muito bela fisicamente, além de ser amável, culta, inteligente e educada nas virtudes cristãs. Logo que chegou despertou a admiração de todos. Isto provocou o ciúme e a inveja da rainha sua tia, que passou a maltrata-la e, até castiga-la sem razão alguma. Beatriz a tudo suportou sem falar nada para ninguém. Certa ocasião, a soberana tentou asfixia-la, mantendo-a presa durante três dias numa arca sem ventilação, água e comida. Mas obrigada pelas circunstâncias, teve que soltar a sobrinha. Naquele período Beatriz recebeu a graça de uma aparição de Nossa Senhora e a incumbência de fundar uma Ordem religiosa dedicada à Imaculada Conceição.

Imediatamente, deixou a corte e ingressou no mosteiro de São Domingos, em Toledo, onde as religiosas viviam sob a Regra cisterciense. Uma vez aceita, cobriu seu rosto com um véu branco por toda a vida. Acalentou durante muito tempo o anseio para fundar a nova ordem religiosa. Depois de trinta anos conseguiu realizar a missão que a Virgem Maria lhe confiara, com a ajuda da nova rainha da Espanha.

Em 1479, com a união dos reinos de Aragão e Castela, rainha Isabel, "a católica", filha da soberana que atentara contra sua vida, portanto prima de Beatriz, foi visitá-la. Ao saber dos seus planos de uma nova congregação, doou à ela o palácio de Galiana em Toledo e a anexa igreja de Santa Fé. Beatriz se transferiu para a nova residência em 1484, junto com doze companheiras, dando início ao primeiro mosteiro da Ordem das clarissas da Imaculada Conceição, conhecidas como as monjas concepcionistas. Em seguida enviou o regulamento que escrevera fundamentado sob as regras das clarissas, para ser aprovado pelo Papa Inocêncio VIII, que o confirmou em 1489.

Porém, dez dias antes da cerimônia em que todas professariam a nova Ordem, Beatriz teve uma nova aparição da Virgem Maria, que lhe comunicou que ela morreria na data da festa. Por isto, professou os votos na véspera deste primeiro grupo e morreu feliz, no dia 01 de setembro de 1490. A fundadora sabia que tinha deixado na terra uma semente, recebida das mãos da Virgem Maria e que germinaria pelos séculos afora, no mundo todo.
Santo Egídio
O nosso Santo de hoje, é muito popular na França. A época em que viveu o abade Egídio não sabemos com certeza, mas alguns historiadores acham que ele viveu no século VI, outros porém situam-no no século VIII. Alguns datam sua morte entre 620 e 740. Entre os vários episódios da vida deste Santo, encontramos também o que é ilustrado por dois vitrais e por uma escultura no portal da Catedral de Chartres, na qual aparece Santo Egídio enquanto celebrava a missa e obtém o perdão de um pecado que o imperador Carlos Magno não tinha ousado confessar a nenhum sacerdote.
O Santo vivia num bosque longe de toda convivência humana e o que mais contribuiu para a sua popularidade foi o fato de que era alimentado por uma corça, que Deus lhe enviara para levar leite ao piedoso eremita diariamente. Um dia a benéfica corça foi perseguida pelo rei que caçava na região, perseguindo-a, mas no instante de atirar a flecha não percebeu que o sinal amedrontado estava já aos pés do eremita, assim a flechada acabou ferindo o Santo no lugar do pobre animal perseguido.

Depois do acidente, o rei tornou-se amigo de Egídio, obteve o perdão e deu-lhe de presente aquele terreno, no qual mais tarde surgiu uma grande abadia que prosperou uma ativa comunidade de monges, dos quais Santo Egídio tornou-se abade. Numerosos são os testemunhos do seu culto na França, Bélgica e Holanda, onde é invocado contra a convulsão da febre, contra o medo e contra a loucura.

Oremos: Pai, Deus nosso Pai, Jesus, vosso Filho, é o Caminho, a Verdade e a Vida. Mostrai-nos a vossa face amiga, tornai-nos verdadeiros e abri os nossos corações à vossa mensagem, Ó Deus de ternura e de bondade protegei-nos. Amém.