terça-feira, 4 de março de 2014

Algumas meditações para estes dias de carnaval

Por Melissa Bergonso

Lamentavelmente, o Brasil se orgulha deste período de carnaval. Dizem: "é um período de brincadeiras, de alegria, de folia, etc.", mas esquecem-se de que o carnaval é o período em que Jesus é mais extremamente ofendido, pois é o período em que mais abunda o pecado da carne!

[...] Nestes tristes dias os cristãos, e quiçá entre eles alguns dos mais favorecidos, trairão, como Judas, o seu divino Mestre e o entregarão nas mãos do demônio. Eles o trairão, já não às ocultas, senão nas praças e vias públicas, fazendo ostentação de sua traição! Eles o trairão, não por trinta dinheiros, mas por coisas mais vis ainda: pela satisfação de uma paixão, por um torpe prazer, por um divertimento momentâneo! [...] Uma das baixezas mais infames que Jesus Cristo sofreu em sua Paixão foi que os soldados lhe vendaram os olhos e, como se ele nada visse, o cobriram de escarros, e lhe deram bofetadas dizendo: Profetiza agora, Cristo, quem te bateu? Ah, meu Senhor! quantas vezes esses mesmos ignominiosos tormentos não Vos são de novo infligidos nestes dias de extravagância diabólica? Pessoas que se cobrem o rosto com uma máscara, como se Deus assim não pudesse reconhecê-las, não têm pejo de vomitar em qualquer parte palavras obscenas, cantigas licenciosas, até blasfêmias execráveis contra o santo Nome de Deus! ― «Depois de o terem açoitado, o farão morrer». Sim, pois se, segundo a palavra do Apóstolo, cada pecado é uma renovação da crucifixão do Filho de Deus, ah! nestes dias Jesus será crucificado centenas e milhares de vezes. (Santo Afonso de Ligório. A Paixão de Jesus Cristo e os divertimentos do carnaval).

Cena do Filme "A Paixão de Cristo" - Jesus carregando a Cruz
Cena do Filme "A Paixão de Cristo" - Jesus carregando a Cruz

Nossa Senhora, em todas as suas aparições [aprovadas pela Igreja], sempre pediu-nos para fazermos penitência e para rezarmos para a conversão dos pobres pecadores. Em Fátima, Ela disse que muitos pecadores vão para o inferno porque não há quem reze por eles, e que os pecados da carne são os pecados que mais levam almas para o inferno. E ainda tem católicos que ainda são a favor dos divertimentos demoníacos do carnaval, que são responsáveis pela perda de milhares de almas, numa tacada só, e por ultrajes e ofensas ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria!!

[...] imaginemos que a divina Mãe nos fala da mesma maneira, particularmente nestes dias do carnaval, em que os pecadores renovam tantas vezes a crucifixão de Jesus, e por conseguinte também as dores de Maria. (Santo Afonso de Ligório. Da gratidão para com as Dores de Maria Santíssima).

Consideremos [...] como não deve ficar magoado o Coração sensibilíssimo de Jesus Cristo em ver-se posposto a um vil demônio, e expulso brutalmente de uma alma pela qual derramou o seu preciosíssimo Sangue; tanto mais que semelhante baixeza se repete no mundo inteiro, em cada hora, milhares de vezes, especialmente nestes dias de carnaval. (Santo Afonso de Ligório. O pecador expulsa Deus do seu coração).

Mater Lacrimosa - Antonio José Martínez Rodríguez
Mater Lacrimosa - Antonio José Martínez Rodríguez

E muito me enoja que até bispos elogiem estes dias desgraçados, dizendo as seguintes palavras: "Que as escolas de samba caprichem, que todos aplaudam seus desfiles, que o carnaval seja bonito em toda parte [...]!" [sic]!!!!!!!!!!!!!!!!! Aplaudir o quê? Será que ele se esqueceu que em meio a tantas plumas e paetês estão várias mulheres nuas e desnudas, sambando e rebolando sobre carros alegóricos? sendo causa de pecados de olhares, pensamentos e desejos contrários à virtude da santa pureza?... Aplaudir esse tipo de coisa é o mesmo que aplaudir o cortejo demoníaco do inferno, pois, enquanto Cristo é flagelado, golpeado e cuspido, o pecado é exaltado, aclamado e louvado!! Ó céus!!!

Se um só pecado, como dizem as Escrituras, já desonra a Deus, o injuria e o despreza, imagina quanto o divino Redentor deve ficar aflito neste tempo em que são cometidos milhares de pecados de toda a espécie, por toda a condição de pessoas, e quiçá por pessoas que lhe estão consagradas. Jesus Cristo não é mais suscetível de dor; mas, se ainda pudesse sofrer, havia de morrer nestes dias desgraçados e havia de morrer tantas vezes quantas são as ofensas que lhe são feitas. (Santo Afonso de Ligório. O carnaval santificado e as divinas beneficências).

Vamos reparar as ofensas que Nosso Senhor Jesus Cristo está recebendo neste período de carnaval. São pecados da carne, são abortos que ocorrem, meu Deus! E esta nação ainda acha que Deus vai abençoá-la?? E alguns prelados acham que estes são dias de alegria??? As pessoas enlouqueceram??

Rezemos o santo Rosário nestes dias. Meditemos sobre a Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo. Recolhamo-nos em nossos lares, dobremos nossos joelhos e imploremos a misericórdia de Deus para este país. Deus é Misericórdia, mas também é Justiça, não nos esqueçamos disto!

Avisa-nos o Senhor: «Não digas: são grandes as misericórdias de Deus; por muitos pecados que eu cometa, obterei o perdão por um só ato de contrição» (Eclo 5, 6). Não digas assim, avisa-nos Deus; e por quê? Porque a sua misericórdia e a sua justiça vão sempre juntas; e a sua indignação se inflama contra os pecadores impenitentes, que amontoam pecados sobre pecados e abusam da misericórdia para mais pecares: A sua misericórdia e a sua ira chegam rapidamente, e a sua indignação vira-se contra os pecadores. — A misericórdia de Deus é infinita, mas os atos dessa misericórdia são finitos. Deus é misericordioso, mas também é justo. «Eu sou justo e misericordioso», disse um dia o Senhor a Santa Brígida; «mas os pecadores julgam-me somente misericordioso». Não queiramos, escreve São Basílio, considerar só uma das faces de Deus. E o Bem-aventurado João Ávila acrescenta que tolerar os que abusam da misericórdia de Deus, para mais o ofenderem, não seria mais ato de misericórdia, mas falta de justiça. A misericórdia é prometida ao que teme a Deus, não ao que dela abusa: Et misericordia eius timentibus eum (Luc 1, 50). A justiça ameaça os pecadores obstinados; e assim como Deus, observa Santo Agostinho, não falta às suas promessas, tão pouco faltará a suas ameaças. (Santo Afonso de Ligório. Deus é misericordioso, mas também justo).

Meu irmão, quem sabe se depois da primeira satisfação indigna, depois do primeiro pensamento consentido, depois do primeiro pecado cometido Deus ainda te quer perdoar? Quem sabe se não te sucederá o que sucedeu a tantos outros, que foram colhidos pela morte no mesmo instante em que estavam ofendendo o Senhor? E se tal acontecesse, que seria de ti durante toda a eternidade? (Santo Afonso de Ligório. Do número dos pecados).
Fonte: http://www.mulhercatolica.org/2014/03/algumas-meditacoes-para-estes-dias-de.html